Rotina e vida saudável ajudam a enfrentar psoríase



Rotina e vida saudável ajudam a enfrentar psoríase

19 de outubro de 2016
vidasaudavel.jpg

Diagnóstico preciso, tratamento e atenção contínuos, apoio familiar e uma vida o mais saudável possível. Esses são alguns elementos essenciais para que os pacientes de psoríase possam enfrentar a doença. A psoríase é uma doença de pele, crônica, autoimune e recorrente, que causa lesões avermelhadas e descamativas. Nas crises, provoca muita coceira e irritação, o que faz com que os pacientes tendam a esconder as zonas afetadas e, muitas vezes, a si próprios, pelo fato de estar associada à depressão. O fator primeiro para tratá-la é obter informação correta, de profissionais qualificados.

"É preciso procurar um dermatologista capacitado que oriente e explique os diversos tipos e níveis de tratamento e o fato de a doença não ser contagiosa", explica a Dra. Cláudia Pires Amaral Maia, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Outro cuidado importante, principalmente pelo fato de se tratar de uma doença crônica, é não negligenciá-la, visitando regularmente o dermatologista.

"Muitos pacientes com psoríase desistem de se tratar e acabam ficando em estado muito ruim. Outros são orientados por não profissionais, seguem informações coletadas na internet, não científicas, receitas caseiras que acabam fazendo com que piorem, o que pode agravar o quadro de depressão associado à doença", alerta a Dra. Cláudia.

A prática de esportes, que ajuda a manter o equilíbrio físico e psíquico, é recomendada. Alguns cuidados são consensuais no combate à doença, em especial em momentos de crise, como manter a pele sempre bem hidratada (de preferência com hidratantes sem perfume, para evitar o risco de alergias), tomar sol (10 minutos diários, antes das 10h e após às 16h, são suficientes) e banhos rápidos com água morna (sem buchas nem esfoliantes).

A depilação exige cuidados extras, e é melhor que seja evitada durante as crises, assim como os cosméticos, que devem ser escolhidos criteriosamente. No vestuário, as peças de algodão são as mais recomendadas por serem de fibra natural. Tecidos como lycra e poliéster não deixam a pele respirar e favorecem o aparecimento de fungos, sendo pouco aconselháveis.





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados