Crise pode ser controlada



Crise pode ser controlada

18 de outubro de 2015
shutterstock_185217797.jpg

A psoríase é uma doença crônica, sem cura conhecida. A doença funciona em ciclos, as crises podem piorar e melhorar, dependendo de um conjunto de fatores que envolvem desde a imunidade até o nível de estresse a que o paciente está submetido.

Em momentos de crise mais severa, o médico pode recomendar o uso de anti-inflamatórios e corticóides, que atuam para diminuir a inflamação e, por consequência, os sintomas e sinais mais agudos como a coceira e a descamação, que podem se tornar insuportáveis. Cada paciente deve ser avaliado individualmente pelo dermatologista e a automedicação não deve acontecer em nenhum caso. Pessoas em crise podem adotar algumas ações para mitigar os principais seus efeitos. Conheça algumas recomendações da Sociedade Brasileira de Dermatologia:

Hidratação constante

Quem tem psoríase deve ter cuidado redobrado com a hidratação. É preciso aplicar hidratantes corporais uma ou duas vezes ao dia. Os mais indicados são os sem perfume, pois diminuem os riscos de alergias.

Exposição ao sol

O sol ajuda a combater as inflamações, sendo benéfico aos portadores de psoríase. Bastam dez minutos diariamente ou pelo menos 3 a 4 vezes na semana. Neste caso, deixe para passar protetor depois do banho de sol para obter melhor resultado. Reaplique ao longo do dia.

Banhos

Eles devem ser rápidos e mornos. Não use buchas nem esfoliantes, que podem ferir a pele que já está sensível. Dê preferência a sabonetes neutros e sem perfume. Use toalhas macias para secar as áreas afetadas.

Depilação

As mulheres devem ter cuidado redobrado com a depilação e optar por métodos que não agridam a pele, especialmente durante os períodos de crise, em que a pele está descamada e muito sensível.

Cosméticos

O melhor é evitá-los completamente quando as crises se instalam e usar com moderação fora delas. Evite usar produtos que agridam a pele nas áreas afetadas.

Roupas

Tecidos de algodão, produzidos com fibras naturais, são a melhor opção. Evite materiais que impedem a transpiração, como a lycra e o poliéster, por exemplo, que favorecem a proliferação de fungos. Roupas justas são desconfortáveis para os pacientes, porque atritam com a pele, o que pode desencadear mais descamação e crises de coceira. No inverno, lembre-se de colocar uma peça de algodão sob os casacos de couro e de lã para evitar o contato direto da pele com materiais que podem ser alergênicos.

Nunca é demais repetir que: a psoríase não é transmissível.





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados