Cenas das próximas manchas



Cenas das próximas manchas

22 de abril de 2010

Nada substitui a avaliação clínica feita por um dermatologista para verificar a saúde da tez. Mas os médicos contam agora com a tecnologia como aliada para o diagnóstico precoce de problemas na pele do rosto.

Se tem algo incômodo de imaginar é onde aparecerão as próximas manchas, rugas e vasos aparentes no rosto. Porém, os médicos dizem que essa é uma boa forma de os pacientes perceberem que é chegada a hora de se cuidar. Alguns equipamentos que têm essa função começam a aparecer nos consultórios médicos. São programas de computador que conseguem mapear a pele, fotografando todos os sinais, mesmo os mais suaves, de manchas, vasos dilatados e rugas.

O resultado é uma espécie de “ressonância magnética” do rosto, que mostra onde surgirão as próximas manchas, ou sinais, o que o olho só iria perceber quando já fosse bem evidente. “Além de acompanhar como está a pele da pessoa e decidir por um ou outro tratamento, a função dessas máquinas é educativa. O paciente consegue enxergar nossos alertas e muitas vezes é vendo essa imagem que ‘a ficha cai’, ou seja, ele percebe que tem realmente de tomar atitudes de prevenção”, diz a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço.

A imagem é captada por uma luz polarizada, que demonstra as imperfeições, como poros abertos e flacidez. Também emite comprimentos de ondas ultravioleta, capazes de captar a pigmentação vascular e o envelhecimento da pele. Outros equipamentos ainda mostram imagens em três dimensões. “Com eles podemos ver a profundidade da cicatriz de catapora, por exemplo, o sulco de uma ruga, qual o grau de abalamento da pele. Funciona como documentação fotográfica que pode ser analisada comparativamente para acompanhamento dos tratamentos”, diz a dermatologista carioca Andréia Mateus Moreira, coordenadora do departamento de cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Para os leigos, as imagens não são agradáveis. “Assusta um pouco. Se você olha o rosto no espelho não imagina como está a pele”, diz a empresária Francelli Cavalca, que testou o equipamento. Mas, segundo Annia Cordeiro, não há motivos para ficar assustado. É um recurso a mais que pode ajudar na reversão do quadro.

Com o mapa, o médico pode decidir qual o melhor tratamento, seja cremes clareadores, luz pulsada, laser de CO2 fracionado ou outras técnicas hoje disponíveis para amenizar as imperfeições. Nada que dispense um bom filtro solar. De acordo com Annia, se usado adequadamente, o protetor é capaz de reverter manchas iniciais.

Além das manchas, uma das versões do mapeamento mostra os vasos e sinais de rosácea, um problema comum em peles claras. Trata-se de uma vermelhidão que começa suave, como se fosse um acúmulo de espinhas, e que, se não tratada, pode se acentuar e virar permanente. “O tratamento pode ser com antibióticos, laser, cremes calmantes… depende de cada caso”, diz Annia.

MELANOMA

Outra forma de detectar precocemente problemas na pele é a dermatoscopia digital computadorizada. São softwares que permitem identificar se uma lesão escura pode se transformar em um melanoma (câncer de pele). “Quem é cheio de pintas de nascença, principalmente escuras e planas,…





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados