SBD volta a oferecer aos associados acesso à plataforma RIMA



rima.jpg

20 de maio de 2022 0

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) volta a oferecer aos seus associados acesso à Rede Ibero-Americana de Medicina Avançada (RIMA) em sua Biblioteca. A partir desta segunda-feira (23), aqueles que estiverem em dia com a instituição poderão utilizar de forma ilimitada os serviços oferecidos pela RIMA, que passa a substituir a EBSCO (plataforma atualmente em operação). A decisão de troca ocorreu em virtude de pedidos feitos à Gestão 2021-2022 e a melhorias e ampliações realizadas no material oferecido pela RIMA.

Com um catálogo com mais de 2.400 títulos de publicações científicas de todo o mundo, a RIMA possibilita pesquisas por meio de um modelo de arquitetura web intuitivo, dinâmico e responsivo que facilita a experiência dos usuários. O serviço pode ser acessado por computador ou dispositivos móveis.

Acesso – Associados quites que já possuíam cadastro na RIMA não precisarão fazer novo cadastro. Basta acessar o portal do serviço e colocar o seu login e senha. Para aqueles que esqueceram a senha, o caminho é selecionar a opção “esqueci minha senha” na área de login.

Associados em dia que não possuem cadastro prévio na RIMA deverão preencher solicitação de acesso na área restrita no site da SBD clicando em “Biblioteca” e depois em “RIMA”. O associado receberá um e-mail com a sua chave de acesso. Por meio dele, o especialista terá todo o passo a passo para fazer o primeiro acesso.

CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

WhatsApp-Image-2022-05-05-at-13.31.48-1200x675.jpeg

5 de maio de 2022 0

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) empenha apoio às iniciativas que visam coibir o consumo e a venda do chamado cigarro eletrônico no País, como a nota divulgada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) nesta segunda-feira (2). No texto, que conta com a adesão da SBD, é defendida a manutenção das regras que proíbem a comercialização, importação e propaganda desse produto.

Conforme destaca o CFM, o posicionamento ocorre diante de “mobilização por parte de alguns segmentos para liberação do cigarro eletrônico no País, tentando mudar a legislação em vigor.  No documento, diferentes segmentos são instados a lutarem contra o cigarro eletrônico.

Os médicos são convidados a orientarem seus pacientes e a população em geral sobre os riscos desse tipo de produto. A imprensa é chamada a colaborar com ações de esclarecimento sobre o tema, “levando ao público informações adequadas, acessíveis e de fontes confiáveis”.

Por sua vez, o Governo (em todas as suas esferas) e o Congresso Nacional são alvo de três pedidos: compromisso com a manutenção da lei que trata sobre os dispositivos eletrônicos para fumar; reforço aos mecanismos de fiscalização e controle; e desenvolvimento de campanhas de esclarecimento sobre os malefícios do uso do cigarro eletrônico.

Segundo as entidades médicas, há um acúmulo de evidências que sugerem que fumar cigarros eletrônicos pode trazer riscos semelhantes ou mesmo maiores que outras formas de uso de nicotina, comprometendo a saúde de seus usuários. O texto destaca que esse tipo de dispositivo “possui altos índices de nicotina e de outras substâncias nocivas em sua composição, causa dependência química e pode levar milhões de pessoas ao adoecimento e à morte”.

Para o presidente da SBD, Mauro Enokihara, apesar de ser aparentemente inofensivo, o cigarro eletrônico é um dispositivo que expõe seus usuários a uma série de riscos. Inclusive, essa prática pode trazer prejuízos à pele e às mucosas por conta das substâncias nocivas que contém.  Há estudos que apontam a relação entre esse consumo e problemas de pele, como dermatites de contato, queimaduras térmicas e lesões da mucosa oral. “Cuidar da saúde e do bem-estar exige a adoção de bons hábitos: fumar não está entre eles”, ressaltou.

NOTA À SOCIEDADE

CFM afirma: o cigarro eletrônico causa sérios danos à saúde 

O uso do cigarro eletrônico, em qualquer faixa etária, traz graves prejuízos para a saúde individual e coletiva. Trabalhos científicos e relatos apontam inúmeros casos de pessoas que desenvolveram doenças em decorrência dessa prática.

Neste momento, ocorre mobilização por parte de alguns segmentos para liberação do cigarro eletrônico no País, tentando mudar a legislação em vigor que proíbe a comercialização, importação e propaganda desse produto.

Ciente disso, o Conselho Federal de Medicina (CFM) alerta os brasileiros sobre os riscos relacionados ao uso desses dispositivos e SOLICITA que:

  • Os médicos orientem seus pacientes e a população em geral a não utilizarem o cigarro eletrônico, alertando-os sobre os efeitos deletérios causados pelo seu uso;
  • Os meios de comunicação atuem como agentes de conscientização junto à população, levando ao público informações adequadas, acessíveis e de fontes confiáveis sobre os riscos envolvidos no consumo do cigarro eletrônico;
  • O Governo (em todas as suas esferas) e o Congresso Nacional se comprometam em manter a proibição em lei do uso dos dispositivos eletrônicos para fumar, bem como reforcem os mecanismos de fiscalização e controle e desenvolvam campanhas de esclarecimento sobre os malefícios dessa prática;
  • A população em geral colabore com a sensibilização dos usuários dos cigarros eletrônicos, orientando-os sobre a necessidade de abandonar esse hábito nocivo para a saúde.

O CFM alerta que o cigarro eletrônico possui altos índices de nicotina e de outras substâncias nocivas em sua composição, causa dependência química e pode levar milhões de pessoas ao adoecimento e à morte.

Brasília, 2 de maio de 2022.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP)

Associação Brasileira de Medicina de tráfego (ABRAMET)

Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT)

Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO)

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV)

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT)

comissao-permanente.png

2 de maio de 2022 0

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) comunica aos associados que estão abertas as inscrições para disputar a uma vaga nas Comissões Permanentes da entidade. A eleição ocorrerá na próxima reunião do Conselho Deliberativo, prevista para o dia 4 de junho (sábado). Para se candidatar é necessário que o especialista seja titular da SBD há mais de cinco anos e em dia com suas obrigações.

De acordo com o art. 7º do Estatuto da entidade, são associados titulares todos os médicos dermatologistas (residentes ou não no Brasil) inscritos para esse fim, portadores de título de especialista em Dermatologia, emitido pela Associação Médica Brasileira (AMB), após aprovação no exame promovido pela SBD. Para se enquadrar nesta categoria, o médico deve ainda ter Registro de Qualificação do Especialista (RQE) como dermatologista junto aos Conselhos de Medicina dos estados onde atua.

No caso específico das vagas para as Comissões de Título de Especialista, Científica e de Ensino, o candidato deve comprovar ser professor titular, ser livre-docente ou possuir título de doutorado.

Confira abaixo as vagas disponíveis:

Comissão de Ética e Defesa Profissional | 1 vaga

Comissão de Título de Especialista | 1 vaga

Comissão de Ensino | 1 vaga

Comissão Científica | 1 vaga

Candidatura – Os interessados em participar desse pleito que ocorrerá em 4 de junho devem encaminhar solicitação de inscrição de sua candidatura, endereçada à Diretoria da SBD, para o e-mail diretoria@sbd.org.br, impreterivelmente, até o dia 4 de maio de 2022 (quarta-feira). A mensagem deve conter nome completo do especialista e o nome da Comissão de interesse. Não serão aceitas inscrições recebidas após o prazo acima mencionado, o que inclui a não aceitação de inscrições durante a reunião do Conselho Deliberativo.

Juntamente, é necessário que candidato envie um mini currículo em formato PDF de, no máximo, uma página, em letra Arial ou Times New Roman, tamanho 12, com informações sobre formação profissional e demais tópicos referentes à vaga pretendida. No caso dos que almejam fazer parte das Comissões de Título de Especialista, Científica e de Ensino deve ser anexada, no mesmo e-mail, a comprovação de que são Professores Titulares, Livre–Docentes ou Doutores.

diretoria-executiva.jpg

30 de abril de 2022 0

A chapa SBD: compromisso e ação foi eleita pelos associados da Sociedade Brasileira de Dermatologia para conduzir os rumos da entidade durante o biênio 2023-2024. O resultado do pleito foi divulgado na manhã de sábado (30), após assembleia convocada para a data, conforme previsto no Regimento Eleitoral.  Essa foi a primeira vez que a eleição foi realizada de forma on-line, o que permitiu aos médicos-dermatologistas exercerem o direito do voto à distância, a partir de suas residências ou locais de trabalho.

Com o resultado, assumirão a responsabilidade de conduzir a SBD na gestão 2023-2024 os seguintes médicos-dermatologistas: Heitor de Sá Gonçalves (presidente); Carlos Barcaui (vice-presidente); Regina Carneiro (secretária-geral); Márcio Serra (tesoureiro); Rosana Lazzarini (1ª secretária); e Fabiane Brenner (2ª secretária).

Votação – O envio dos votos aconteceu entre meia-noite do dia 26 de abril (terça-feira) até uma hora após o início da Assembleia Geral realizada no sábado. Para votar, os associados acessaram o site da SBD, fizeram o login na área restrita e foram redirecionados para o ambiente virtual onde foi possível expressarem suas vontades de forma direta, individual e secreta. Todos os associados que estavam em dia com suas contribuições até o momento anterior ao prazo de início da votação eletrônica, ou seja, anteriormente a 26 de abril puderam participar do processo.

Os votos foram apurados por uma empresa independente contratada para disponibilizar o ambiente virtual de votação. Segundo o relatório apresentado, no total 1.267 associados votaram. A chapa recebeu o apoio de 1.208 nomes. Houve 33 votos em branco e 26 votos nulos. Confira abaixo os nomes que vão ocupar cargos na diretoria da SBD e que terão a missão de promover uma atuação da Sociedade de forma ainda mais dinâmica, ativa, representativa e com maior visibilidade.

DIRETORIA EXECUTIVA
Heitor Sá Gonçalves – Presidente

·       Vice-Presidente da SBD (Gestão 2021-2022)

·       Membro da Comissão do TED/SBD

·       Chefe do serviço credenciado da SBD/Centro de Dermatologia Dona Libânia-Secretaria de Saúde do Estado do Ceará

·       Professor Associado de Dermatologia do Curso de Medicina da Universidade Estadual do Ceará (UECE)

·       Doutor em Farmacologia Clínica

      Cargos anteriores

·       Secretário da Diretoria da SBD Nacional (Gestão 2005-2006)

·       Coordenador dos Departamentos de Hanseníase e Doenças Infecto- Parasitárias

·       Membro do Conselho Fiscal da SBD Nacional

·       Presidente do 63º Congresso Da Sociedade Brasileira de Dermatologia (2008)

·       Presidente da SBD – Regional CE

 

Carlos Baptista Barcaui – Vice-Presidente

·       Tesoureiro da SBD (Gestão 2021-2022)
·       Professor associado de Dermatologia da Faculdade de Ciência Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FCM-UERJ)
·       Doutor em Dermatologia pela Universidade de São Paulo
·       Mestre em Dermatologia pela Universidade Federal de São Paulo

       Cargos anteriores

·       Tesoureiro SBD (Gestão 2011-2012)

·       Membro do Conselho Deliberativo da SBD (desde 2008)

·       Membro da Comissão do TED (desde 2016)

·       Presidente da SBD- Regional RJ (Gestão 2009-2010)

·       Secretário Geral SBD- Regional RJ (Gestão 2007-2008)

Regina Carneiro – Secretária Geral

·       Presidente eleita do Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia (2023)

·       Professora Titular da Universidade do Estado do Pará (UEPA)

·       Doutora em Dermatologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

·       Mestre em Dermatologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

       Cargos anteriores

·       Membro da Comissão de Ensino e de Título da SBD

·       Presidente da SBD – Regional PA

·       Vice-Presidente do Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia (2009)

Márcio Serra – Tesoureiro

·       Coordenador do Departamento de DST/Aids da SBD

·       Membro da Câmara Técnica em DST/Aids do CREMERJ

·       Mestre em Dermatologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Cargos anteriores

·       Presidente do 74o. Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia

·       Tesoureiro do 67º Congresso da SBD

·       Tesoureiro Adjunto do 65º Congresso da SBD

·       Vice-Presidente e Tesoureiro da SBD – Regional RJ

Rosana Lazzarini – 1ª Secretária

·       Membro do Conselho da SBD e SBD – RESP (desde 2015)

·       Assessora do Departamento de Alergia e Dermatoses Ocupacionais da SBD (Gestão 2021-2022)

·       Professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo – Curso de Medicina

·       Assistente da Clínica de Dermatologia da Santa Casa de São Paulo

Cargo anterior

·       Coordenadora do Departamento de Alergia e Dermatoses Ocupacionais da SBD

Fabiane Brenner – 2ª Secretária

·       Coordenadora do Departamento de Cabelos e Unhas da SBD (Gestão 2021-2022)

·       Professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

·       Mestre em Medicina Interna

·       Fellowship em Cabelo na The Cleveland Clinic Foundation – USA.

Cargos anteriores

·       Coordenadora do Departamento de Cabelos e Unhas – SBD

·       Assessora do Departamento de Cabelos e Unhas – SBD

·       Delegada regional – SBD – Regional PR

·       Assessora de ética– SBD – Regional PR

·       Assessora científica – SBD – Regional PR

·       Representante de sócio aspirante– SBD – Regional PR

·        Representante dos associados– SBD – Regional PR

DIRETORIA ESTENDIDA
Renata Magalhães – Diretora Científica

·       Membro da Comissão de Título de Especialista da SBD

·       Chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas (Unicamp)

·       Coordenadora do Programa de Mestrado Profissional “Ciências Aplicadas à Qualificação Médica” da pós-graduação da FCM (Unicamp)

·       Professora-Doutora da Disciplina de Dermatologia, Departamento de Clínica Médica da FCM (Unicamp)

Cargos anteriores

·       Tesoureira, vice-presidente e presidente no 5º Distrito da SBD-RESP (entre 2003 e 2013).

Beni Grinblat – Diretor do Jornal da SBD

·       2º secretário da SBD (Gestão 2021-2022)

·       Dermatologista do Hospital Albert Einstein

·       Colaborador do Ambulatório de Terapia Fotodinâmica do Hospital das Clínicas (USP)

Cargo anterior

·       Secretário da SBD-RESP (Gestão 2019-2020)

Caroline Brandão – Diretora de Mídias Eletrônicas

·       Mestre em Ciências da Saúde

·       Cirurgiã Micrográfica de Mohs pela FMABC

Cargos anteriores

·       Coordenadora das Reuniões Mensais SBD – Regional RJ (Gestão 2021-2022)

·       Assessora de eventos da SBD- Regional RJ (Gestão 2019-2020)

Carolina Talhari – Diretora da Biblioteca

·       Presidente da SBD – Regional AM

·       Professora Adjunta de Dermatologia do Curso de Medicina da Universidade do Estado do Amazonas (UEA)

·       Pesquisadora Titular em Dermatologia da Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia “Alfredo da Matta”

·       Cargos anteriores

·       Assessora de Pesquisa – Gestões SBD – Regional AM (Gestões 2019-2020 e 2017-2018)

 

 

bannerSBD_AGE2022-1200x675.jpg

15 de abril de 2022 0

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) divulgou nesta semana o edital de convocação para a Assembleia Geral Extraordinária para a eleição da diretoria executiva para o biênio 2023-2024. A reunião ocorrerá pela plataforma zoom, no dia 30 de abril (sábado), a partir das 9h.

Na ocasião, será feita a finalização da votação eletrônica; a apuração dos votos por empresa independente contratada para disponibilizar o ambiente virtual de votação; e a proclamação do resultado da eleição.

PARA PARTICIPAR, O ASSOCIADO DEVERÁ SE INSCREVER AQUI.

A eleição deste ano será de forma virtual e ocorrerá a partir de meia-noite do dia   26 de abril até uma hora após o início da Assembleia Geral, em 30 de abril, conforme manda o Art. 11 do Regimento Eleitoral.

Login e senha – Para votar, os associados deverão acessar o site da SBD, no prazo supracitado, colocando o seu login e senha na área restrita do associado no site. Após isso, o associado deverá clicar no ícone “Eleições 2022”. Ao clicar no ícone será direcionado ao ambiente virtual de votação, onde constam demais instruções, para exercer o seu voto. O voto é direto, individual e secreto.

Importante ressaltar que somente poderá exercer o direito de voto, os associados que estiverem em dia com suas contribuições até o momento anterior ao prazo de início da votação eletrônica, ou seja, anteriormente a 26 de abril.

Os sócios que esqueceram a senha ou que estiverem acessando pela primeira vez a área restrita do site deverão clicar em “esqueci minha senha/gerar senha”. As instruções para validação de nova senha serão encaminhadas para o e-mail do associado cadastrado na SBD.

CLIQUE AQUI E VEJA O EDITAL NA ÍNTEGRA

 

queda-cabelo-1200x800.jpg

28 de março de 2022 0

A eficácia do uso de altas doses de vitamina D no tratamento de queda de cabelo (eflúvio telógeno) decorrente da covid-19 não conta, até o momento, com evidências científicas confiáveis. O alerta é da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) que, por meio de seu Departamento de Cabelos e Unhas, divulgou nota para a população que tem sido impactada por informações equivocadas em redes sociais e grupos de discussão.

ACESSE A ÍNTEGRA DA NOTA DA SBD

“Estudos publicados sobre este tema não podem ser considerados relevantes ou definitivos, pois carecem de metodologia clara e consistente, o que compromete a qualidade dos resultados anunciados”, cita o documento da SBD. Os especialistas lembram ainda que para o enfrentamento deste problema que tem sido registrado entre pacientes que tiveram covid-19 tem sido feito com o uso de substância conhecida como minoxidil, disponível para prescrição com diferentes nomes comerciais.

Publicações – Segundo os dermatologistas da SBD, estudos divulgados em publicações nacionais e internacionais informam que o minoxidil aumenta a densidade de fios na fase de crescimento, além de prolongar a sua duração, possibilitando uma recuperação mais rápida da perda capilar. “Diante desses fatos, entende-se que essa substância pode ser também ferramenta útil nos cuidados oferecidos aos pacientes com eflúvio telógeno pós-covid-19”, destaca a nota.

Finalmente, no alerta, a SBD orienta a população que enfrenta a queda de cabelo no pós-covid que busquem o suporte de profissionais para fazer o tratamento de seu problema. Após a análise das condições clínicas e exame do couro cabeludo, o dermatologista poderá indicar a dose, a via e a duração do tratamento mais adequado para cada caso, lembram os especialistas da Sociedade.

GUIA-COVID-capa.png

22 de março de 2022 0

Para ajudar a população a entender de forma didática e simplificada como o vírus causador da pandemia pode deixar sinais evidentes na pele, cabelo e unhas, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) acaba de lançar o “Guia sobre a covid-19 e suas manifestações cutâneas”. A publicação trazer informações importantes sobre o tema, inclusive alerta que lesões cutâneas decorrentes dessa doença podem ser parecidas com as de outras. Por conta disso, esclarece a SBD, é importante a avaliação de cada caso por dermatologista para diagnóstico e tratamento corretos.

ACESSE O GUIA SOBRE COVID NA ÍNTEGRA

No “Guia sobre a covid-19 e suas manifestações cutâneas”, os especialistas enfatizam que, embora os principais sintomas da doença sejam respiratórios, estima-se que seis em cada grupo de 100 pacientes com a doença apresentam alguma manifestação na pele. Apesar do número parecer baixo, o texto ressalta que identificar quadros nesta situação ajuda no diagnóstico precoce da covid-19 e no acompanhamento dos casos.

Pacientes com covid-19 podem apresentar lesões na pele, sendo as mais comuns manchas vermelhas. Elas são chamadas de “exantema” ou “rash”. Os especialistas pontuam que surgem nos primeiros dias da doença e podem coçar e descamar. A melhora ocorre de forma espontânea, com a recuperação do quadro clínico.

Por sua vez, outras lesões, como a urticária, podem preceder sintomas gerais ou surgir concomitante a eles. O documento traz ainda a informação de que há relatos de pacientes em que lesões de pele foram o único sintoma da doença, uma situação que tem sido avaliada pela comunidade científica.

Cabelos – A covid-19 pode desencadear, ainda, queda capilar intensa, também chamada de eflúvio telógeno. Esse sintoma se inicia de um a três meses após a infecção viral e a duração é variável. Os médicos frisam que medidas como alimentação adequada e lavagem dos cabelos na frequência recomendada podem ajudar. Em alguns casos, o tratamento específico com suplementação de nutrientes e medicações pode ser necessário, devendo ser orientado por dermatologista.

Outra manifestação relatada é a chamada de “dedos covid” ou pseudo eritema pérnio. Eles se caracterizam por manchas arroxeadas ou vermelhas nas pontas dos dedos dos pés, mãos, nariz e orelhas, que podem ser acompanhadas de leve inchaço, aumento da sensibilidade, queimação e dor. A melhora também ocorre espontaneamente em algumas semanas, podendo ser necessário o auxílio de medicações analgésicas e anti-inflamatórias. Dentre as crianças, essa é a manifestação cutânea mais comum e indica pouca gravidade da doença.

O trabalho publicado pela SBD, que comemora 110 anos de fundação, aborda ainda a relação das vacinas para covid-19 com problema de pele. O Guia explica que reações cutâneas também podem ocorrer após o uso de qualquer tecnologia, sendo mais comum a reação no local da aplicação (imediata ou tardia). Nestas situações, há edema, vermelhidão e dor local, o que pode exigir tratamento com medicamentos. Porém, o documento ressalta que, até o momento, não existe reação cutânea à vacina que impeça a aplicação da segunda dose ou dose de reforço, quando indicadas.

sitenoticiaprancheta-1_545x381.jpg

26 de fevereiro de 2022 0

Neste sábado (26), a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) publicou uma nota de esclarecimento aos seus associados informando sobre o alerta que fez à farmacêutica Galderma acerca da publicidade de produtos voltado à área estética.

No texto enviado à empresa, a diretoria da SBD ressaltou a importância da ética e responsabilidade com o público ao veicular a propaganda de dois injetáveis, que podem causar danos físico se não forem, bem prescritos ou manuseados.

“Esperamos que a Galderma, como instituição historicamente parceira da SBD, esteja atenta a estes e outros aspectos em futuras ações publicitárias, valorizando nestas iniciativas aspectos fundamentais para que ocorra um bom atendimento dos pacientes”, diz o texto enviado aos mais de 10 mil dermatologistas associados à SBD.

LEIA AQUI O TEXTO NA ÍNTEGRA

banner-site.jpg

24 de fevereiro de 2022 0

A Comissão Eleitoral e a Comissão de Ética e Defesa Profissional da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) comunicam a existência de chapa única homologada para a eleição do grupo diretor que conduzirá as atividades da entidade no biênio 2023-2024.

Sob o mote “SBD, compromisso e ação”, a chapa é comandada por Heitor de Sá Gonçalves (presidente); Carlos Barcaui (vice-presidente); Regina Carneiro (secretária-geral); Márcio Serra (tesoureiro); Rosana Lazzarini (1ª secretária); e Fabiane Brenner (2ª secretária).

On-line – A partir deste ano, o processo eleitoral passará a ser on-line. Os associados poderão exercer seu direto de voto do conforto de suas casas e consultórios. A Assembleia Eleitoral será realizada no dia 30 de abril.

As instruções completas sobre como votar serão disponibilizadas junto com o edital de convocação da Assembleia Eleitoral. Fique atento ao e-mail cadastrado, ao site e às redes sociais da SBD. Por meio deles, serão repassadas orientações aos associados.

A apuração será realizada imediatamente após o encerramento do período de votação e a chapa única será eleita se os votos computados forem superiores à soma dos brancos e nulos.

Todo associado regularmente quite com suas obrigações até o momento anterior ao início da votação tem direito a participar do pleito. Para consultar a regularidade cadastral, acesse a área restrita do site da SBD.  Em caso de dúvidas, entre em contato com a SBD pelo telefone (21) 2253-6747 ou pelo e-mail sbd@sbd.org.br.

Selo-110-anos-1200x842.jpg

8 de fevereiro de 2022 0

Em 2022, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) celebra 110 anos de história. Com trajetória repleta de inovações e conquistas, a entidade atua ativamente na qualificação dos profissionais da especialidade no Brasil, como foco na atualização científica e tecnológica. Além disso, ela trabalha pela ampliação do acesso ao atendimento dermatológico nas redes pública e privada, bem como pela oferta de condições de trabalho às equipes que atendem no Sistema Único de Saúde (SUS) e nos planos de saúde.

“A pauta de trabalho da SBD é ampla, assim como é o engajamento dos especialistas e de nossa entidade na assistência aos brasileiros que buscam cuidados para seus problemas de saúde que afetam pele, cabelos e unhas. Graças a este empenho, individual e coletivo, os dermatologistas têm alcançado avanços que os tornam exemplos para o País”, destacou Mauro Enokihara, presidente da Sociedade.

Há 11 décadas, em 4 de fevereiro de 1912, nascia o que hoje é a principal entidade médica da dermatologia brasileira, e uma das maiores do mundo. Com o estatuto registrado logo no dia seguinte, em 5 de fevereiro, a SBD passou a trabalhar já com 81 sócios efetivos em seu primeiro ano de atividade. Hoje, a Sociedade congrega mais de 10 mil dermatologistas de todo o país, contribuindo com o avanço da ciência e o desenvolvimento da especialidade a partir de estudos originais, oferta de cursos e treinamentos, realização de campanhas e qualificação dos serviços disponibilizados à população brasileira.

Produção – Em todos esses anos, a atualização dos especialistas foi compreendida como uma das prioridades da SBD. Responsável pela mais importante revista científica do segmento no Brasil, a entidade publica, desde 1925, os Anais Brasileiros de Dermatologia (ABD). O compromisso da SBD com a ciência ganhou ainda mais força a partir de 2009, quando a entidade publicou, pela primeira vez, a Surgical & Cosmetic Dermatology, revista médica que difunde a experiência brasileira nas áreas de cirurgia dermatológica e cosmiatria.

Segundo o vice-presidente Heitor de Sá Gonçalves, “essa potência na produção científica muito se relaciona ao nosso intercâmbio com a academia. Temos orgulho em dizer que, em 2021, atingimos a marca de 92 serviços credenciados pela SBD em todo o Brasil. Esses programas de especialização e residência médica recebem a garantia de uma organização com mais de um século de tradição”.

Campanhas – Além das publicações e títulos científicos, outra importante forma de atuação da SBD são as campanhas temáticas, formuladas para intensificar os cuidados acerca de determinadas doenças. Destacam-se, nesse sentido, a campanha de conscientização sobre hanseníase (Janeiro Roxo); a campanha de Psoríase, realizada sempre no mês de outubro; e a campanha de prevenção ao câncer de pele (Dezembro Laranja); entre outras.

Para garantir a eficácia dessas ações, a entidade tem ampliado, a cada ano, ações estratégicas em busca de maior interlocução com o Congresso Nacional, o Poder Executivo, as agências de regulação e outras instituições. Esse esforço inclui ainda medidas na área da comunicação, que tem aumentado a visibilidade institucional e seu espaço no debate público sobre temas relacionados à saúde.

Apenas em 2021, houve mais de 3,5 mil citações diretas à SBD, em matérias e reportagens publicadas em alguns dos principais veículos de comunicação do País. Assim, além dos canais tradicionais, as redes sociais já somam quase 300 mil seguidores.

Comemoração – Para comemorar seus 110 anos de história, a entidade preparou uma série de iniciativas para os associados e para o público em geral, as quais serão lançadas ao longo de 2022. No entanto, algumas delas já foram apresentadas. Por exemplo, presenteando toda a sociedade, o site oficial da SBD foi reformulado, ganhando um layout moderno e vários outros aperfeiçoamentos.

As redes sociais também serão tomadas por peças gráficas e posts que valorizam esse centenário. A gestão da SBD também enviou mensagens de agradecimento aos associados, ou seja, àqueles que ajudaram a construir a história da dermatologia brasileira, acompanhados de cartões que facilitam a identificação dos médicos em formato digital.

Essas peças substituem cartões de visita de maneira sustentável. Com a tecnologia, o dermatologista poderá compartilhar em fração de segundos suas credenciais com amigos, pacientes e contatos profissionais. Além dele, os membros da SBD também receberão kits digitais e vão poder contribuir com a realização do projeto SBD Verde, que pretende estimular o plantio de árvores em todo o País, reforçando a proteção do meio ambiente.

Outras iniciativas preveem a realização de pesquisas e o uso inteligente de informações para traçar cenários de assistência também serão utilizados ao longo dos próximos meses. Também estão sendo concluídos projetos de conteúdo de educação continuada e informativo para divulgação nos meses próximos.

“Queremos que todos se sintam convidados a celebrar não só os 110 anos de existência da SBD, mas todo o significado que damos à ciência brasileira enquanto especialidade médica. Esse é um momento de orgulho, onde comemoramos um legado construído por todos nós, dermatologistas”, destacou o presidente Mauro Yoshiaki Enokihara.





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados