Um grande momento para a medicina e dermatologia brasileiras



Um grande momento para a medicina e dermatologia brasileiras

10 de agosto de 2016
imagem-coringa-branco-800x600.jpg

Em Brasília, o presidente da SBD, Gabriel Gontijo, entrega ao presidente do CFM, Carlos Vital, um dossiê contendo 180 páginas sobre os riscos e complicações de procedimentos realizados por não médicos A atual Diretoria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (2015/2016) reconhece e valoriza a importância do atendimento multiprofissional para preservar e promover a saúde da população. Entretanto, repudia com veemência o desrespeito de alguns profissionais não médicos que ultrapassam os limites de sua competência, habilidade, capacitação e, principalmente, sua formação, colocando a sociedade em sério risco. Nesse sentido e sob a clara sensatez do respeito à formação de cada profissional, o presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Gabriel Gontijo, passou dois dias (9 e 10/8) na capital federal cumprindo importante agenda com parlamentares, entidades médicas e órgãos governamentais, no intuito de coibir atos de total irresponsabilidade que colocam em risco o bem-estar dos pacientes. Vários colegas dermatologistas apoiaram e também estiveram presentes, como: Luciana Conrado, Adriano Loyola (presidente da SBD-GO), Beatriz de Medeiros Ribeiro (presidente da SBD-DF), Elza Garcia da Silva, Paulo Oldani e Claudia Marçal. Momento reflete união e mobilização da classe médica. Foto: assessoria do deputado Mandetta Na tarde de terça feira (9), o presidente Gabriel Gontijo esteve presente no encontro de formação da Frente Parlamentar da Medicina (FPMed). O deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM/MS) presidiu a primeira reunião de mobilização de apoio à criação da Frente Parlamentar da Medicina com a presença de representantes das principais entidades de classes médicas nacionais e estaduais. Os deputados federais José Carlos Aleluia (DEM/BA), Luciano Ducci (PSB/PR), Conceição Sampaio (PP/AM), Lelo Coimbra (PMDB/ES), João (PR/RJ), Onyx Lorenzoni (DEM/RS) e o senador Ronaldo Caiado (DEM/GO) também estiveram na sessão que durou quase três horas. “A classe médica nunca esteve tão unida e mobilizada. A Frente Parlamentar da Medicina será composta inicialmente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB), Federação Brasileira dos Acadêmicos da Medicina, Associação Nacional dos Médicos Residentes, sociedades de especialidades médicas e sindicatos”, enaltece Gabriel Gontijo. O auditório Freitas Nobre, no anexo IV da Câmara dos Deputados, foi pequeno com seus 70 lugares para comportar as mais de 100 pessoas que compareceram para apoiar a criação da Frente Parlamentar da Medicina. Mandetta fez questão de frisar: “Não é lançamento da Frente. É uma reunião para entendermos se vamos, quando vamos e com que roupa vamos”. O deputado anunciou que o lançamento será no dia 18 de outubro, Dia do Médico, e espera que mais de mil profissionais da área estejam presentes para mostrar sua força ao Congresso Nacional. A criação da Frente Parlamentar da Medicina, segundo Mandetta, discutirá temas como o crescimento desordenado dos cursos de medicina em todo o território nacional, a regulamentação de diplomas, a criação da carreira federal de médico e outros gargalos da medicina brasileira. “Todas as questões médicas passam por esta Casa”, ressaltou, por isso a importância de criar essa Frente. As entidades presentes nesta terça na reunião de composição da Frente Parlamentar da Medicina farão parte do livro de registro de apoio a criação da Frente, a qual permitirá a atuação política de associações, sindicatos e os conselhos nacionais dos médicos para que possam ter um braço político no Congresso Nacional. Isso é fundamental para fazer a defesa profissional e a construção de leis, projetos e audiências públicas, de acordo com o deputado. O dia de trabalho foi encerrado após reunião do presidente da SBD, Gabriel Gontijo, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, e Francisco de Assis Figueiredo, da Secretaria Nacional de Atenção à Saúde. Durante o encontro, conversaram sobre câncer da pele, hanseníase, psoríase, doenças sexualmente transmissíveis, telemedicina e a questão da invasão da medicina por não médicos. O senador Ronaldo Caiado também recebeu o dossiê elaborado pela SBD Nesta quarta-feira, 10 de agosto, Gabriel Gontijo deu continuidade ao trabalho de defesa profissional em Brasília. Pela manhã, marcou presença na reunião da Câmara Técnica de Dermatologia do Conselho Federal de Medicina (CFM) para produzir nota de esclarecimento à população sobre os riscos da realização dos procedimentos com não médicos. Na parte da tarde, o presidente da SBD esteve com o senador Ronaldo Caiado e assessores para compartilhar o dossiê elaborado pela SBD sobre complicações de procedimentos realizados por não médicos. O documento também foi entregue ao deputado federal Roberto Lucena e ao professor Heldo Mulatinho, assessor da Senadora Lucia Vânia, que iniciou a votação para a consulta pública para a votação da Lei do Ato Médico. Durante o encontro, Heldo Mulatinho afirmou que a SBD pode contar com a atuação do gabinete da senadora Lucia Vânia em prol da saúde da população. Gontijo com o professor Heldo Mulatinho, assessor da senadora Lucia Vania, autora do Projeto de Lei do Senado nº 350, de 2014, que altera a Lei nº 12.842, de 2013, que dispõe sobre o exercício da medicina, para modificar as atividades privativas de médico





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados