Doença tem vários tipos



Doença tem vários tipos

18 de outubro de 2015
toque.png

Existem diferentes tipos de psoríase, que também variam no grau de intensidade de paciente para paciente.

SINTOMAS   A forma clínica mais comum é a psoríase em placas ou psoríase vulgar, mas existem outras variantes clínicas menos comuns que serão apresentadas abaixo. Os fatores ambientais também podem interferir nas manifestações clínicas, colaborando com o agravamento do quadro. Entre os fatores,  destacamos a obesidade, o estresse e o tabagismo. Veja abaixo quais são os tipos de psoríase conhecidos pela medicina:  

Psoríase em placas ou psoríase vulgar   Comum joelhos

A área dos joelhos é umas das mais afetadas nos casos de psoríase vulgar ou de placas a manifestação mais comum da doença. Forma placas secas, avermelhadas com escamas prateadas ou esbranquiçadas. Essas placas coçam e algumas vezes doem, podem atingir todas as partes do corpo, inclusive genitais e o interior da boca. Em casos graves, a pele em torno das articulações pode rachar e sangrar.  

Psoríase ungueal   Unhas A psoríase ungueal afeta dedos e unhas; pode aparecer nas mãos e nos pés Afeta os dedos das mãos e dos pés e também as unhas. Faz com que a unha cresça de forma anormal, engrosse e fique com sua superfície áspera, além de perder a cor. Em alguns casos a unha chega a descolar da carne e, nos casos mais graves, a esfarelar.  

Psoríase do couro cabeludo Couro cabeludo. Psoríase no couro cabeludo   Surgem áreas avermelhadas com escamas espessas branco-prateadas, principalmente após coçar. O paciente pode perceber os flocos de pele morta em seus cabelos ou em seus ombros, especialmente depois de coçar o couro cabeludo. Assemelha-se à caspa, porém geralmente é mais intensa e associada à vermelhidão do couro cabeludo.  

Psoríase gutata Geralmente é desencadeada por infecções bacterianas, como as de garganta. É caracterizada por pequenas feridas, em forma de gota no tronco, braços, pernas e couro cabeludo. As feridas são cobertas por uma fina escama, diferente das placas típicas da psoríase que são grossas. Este tipo acomete mais crianças e jovens antes dos 30 anos.  

Psoríase invertida Atinge principalmente áreas úmidas, como axilas, virilhas, embaixo dos seios e ao redor das genitais. São manchas inflamadas e vermelhas. O quadro pode agravar em pessoas obesas ou quando há sudorese excessiva e atrito nas áreas de dobra da pele.  

Psoríase pustulosa Nesta forma rara de psoríase, podem ocorrer manchas em todas as partes do corpo ou em áreas menores, como mãos, pés ou dedos, a chamada de psoríase palmo-plantar. Geralmente ela se desenvolve rápido, com bolhas cheias de pus que aparecem poucas horas depois de a pele tornar-se vermelha. As bolhas secam dentro de um dia ou dois, mas podem reaparecer durante dias ou semanas. A psoríase pustulosa generalizada pode causar febre, calafrios, coceira intensa e fadiga.  

Psoríase eritodérmica É o tipo menos comum. Acomete todo o corpo com manchas vermelhas que podem coçar ou arder intensamente, levando a manifestações sistêmicas. Ela pode ser desencadeada por queimaduras graves, tratamentos intempestivos como uso ou retirada abrupta de corticosteróides , infecções ou por outro tipo de psoríase foi mal controlada.  

Artrite psoriásica Elbow pain. A artrite psoriásica afeta articulações como cotovelos e joelhos Além da inflamação na pele e da descamação, a artrite psoriásica causa fortes dores nas articulações. Afeta qualquer articulação e, além de causar limitação dos movimentos pela dor, pode levar a deformidades definitivas das articulações (sequelas) comprometendo o movimento das articulações.





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados