Técnicas contra a celulite devem estar aliadas a alimentação saudável



Técnicas contra a celulite devem estar aliadas a alimentação saudável

22 de agosto de 2010

Especialistas recomendam a procura por uma orientação profissional

Comum principalmente entre as mulheres, a celulite movimenta um grande comércio de produtos e serviços que nem sempre são aprovados pelas autoridades ou médicos. Por isso, o tema tem recebido atenção especial de diversos especialistas, que recomendam a procura por uma orientação profissional e alimentação balanceada.

Muitas vezes o tratamento da celulite é complicado. A origem do problema pode estar, entre outras coisas, ligada a fatores genéticos e comportamentais.

A dermatologia oferece tratamentos que utilizam a associação de diversas tecnologias como laser, radiofrequência, raios infravermelhos, ultrassom e massagens.

Segundo Aldo Toschi, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, esses tratamentos atuam de diferentes formas, em prol da restauração da pele comprometida.

— A massagem dérmica ou drenagem linfática reduz o inchaço, melhorando a elasticidade e a tonificação cutânea; o uso de laser de diodo e dos raios infravermelhos reduz o tecido gorduroso; a aplicação de ultrassom favorece a quebra de moléculas de gordura e potencializa sua eliminação pelo suor e pela urina.

Além desses, ele aponta as emissões de ondas de radiofrequência que aquecem e remodelam as fibras de colágeno reduzindo a flacidez, a estimulação elétrica que fortalece o tônus muscular, os procedimentos de subcisão (um tipo de cirurgia dermatológica) e o uso de preenchedores (como o ácido hialurônico) que diminuem as depressões cutâneas geradas pela celulite.

Mas, Toschi observa que ‘é preciso, que o paciente consulte um profissional para ter a indicação mais adequada de cada técnica, com base em exames gerais e hormonais, que poderá orientar, quando for o caso, uma consulta com médicos de outras especialidades como endocrinologistas ou cirurgiões vasculares’.

Não menos importante estão os cuidados com a alimentação, peso corporal e o índice de massa corporal (IMC). Há relação direta entre a obesidade, celulite e equilíbrio hormonal.

— É preciso observar uma dieta adequada tanto em relação ao que se pode e ao que não se recomenda comer e beber, pois junto com o sedentarismo e a disposição genética, os alimentos inadequados geram celulite — explica Denise Steiner, também da SBD – Regional São Paulo.

PREVENÇÃO NO PRATO

A médica sugere o consumo de alimentos com lecitina (soja), ácidos graxos essenciais (salmão, amêndoas e azeite), aminoácidos (peixe branco, feijão, frango e legumes) e com vitamina C para criação do colágeno saudável (frutas cítricas), como forma de se evitar ou reduzir o problema. E desaconselha alimentos ricos em açúcar, sal, café e bebidas cafeinadas, álcool e alimentos como batatas fritas, pratos prontos e sopas enlatadas, entre outros, pois eles contribuem para o acúmulo de gordura.

— Mas, também as dietas devem ser determinadas por um nutricionista sob a orientação do endocrinologista, para que o tratamento não tenha efeito temporário e o paciente volte a enfrentar a celulite — alerta Denise.

Ela também explica que, no caso das mulheres, o hormônio feminino favorece a retenção hídrica em geral, com agravamento do quadro no período pré-menstrual.

— Por isso dizemos que a alimentação contribui, mas não é a causa principal da formação de celulite, o que reforça a necessidade de acompanhamento médico para o tratamento de cada pessoa — completa a dermatologista.





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados