Nova gestão da SBD apresenta projetos de ação para a entidade



Nova gestão da SBD apresenta projetos de ação para a entidade

11 de março de 2019
destaque-sergio-palma1.jpeg

JSBD – Ano 23 – N.01 – JANEIRO-FEVEREIRO

Oferecer aos associados e suas Regionais o suporte de uma entidade moderna, atenta às demandas da especialidade, preocupada com a melhora da formação e capacitação dos profissionais, engajada nas diferentes frentes da defesa profissional e cada vez mais transparente e comprometida com racionalização no uso de seus recursos. Essas e outras metas constituem o alicerce dos trabalhos que estão sendo conduzidos pela atual gestão à frente da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). O grupo, que tomou posse em janeiro, começou 2019 disposto a enfrentar os desafios em cada uma dessas áreas, sempre tendo como parâmetros os interesses da dermatologia e as demandas dos especialistas. Em entrevista ao JSBD, o novo presidente, Sérgio Palma, adianta alguns projetos que serão trabalhados no biênio 2019/2020.

Planejamento – Considerando a trajetória de 107 anos e os mais de 9,5 mil médicos filiados, a nova gestão da SBD espera desenvolver ao longo dos próximos meses uma série de ações capazes de alcançar os resultados esperados, segundo um planejamento estratégico.

“Não serão poupados esforços para que todos esses objetivos sejam atingidos, graças ao empenho de nossos diretores, associados e colaboradores. Sabemos de nossa importância para a assistência no país, o que nos dá a convicção de que temos legitimidade e conhecimento para lutar por nossos direitos e por políticas que atendam às expectativas dos médicos e da população”, argumentou o presidente da Sociedade, Sérgio Palma.

O mote que une e motiva o grupo diretor é a busca da inovação, com participação e união. Para tanto, as grandes metas foram reunidas em eixos norteadores para o trabalho que começou a ser implementado e que tende a ampliar seu escopo com a passagem do tempo.

Valorização do profissional – O primeiro eixo engloba as ações voltadas para a defesa da dermatologia enquanto campo de conhecimento e prática médicos, que têm um espaço privilegiado na agenda da gestão da SBD em 2019. Nos planos, está a intenção de realizar campanhas junto à população para mostrar a importância do dermatologista no diagnóstico de doenças e cuidados com a pele, unhas e cabelo. Nesse processo, a comunicação terá papel fundamental. Com o uso de meios modernos, como vídeos, sites e canais de redes sociais, além do fortalecimento do relacionamento com a grande imprensa, a SBD quer se aproximar ainda mais da população em geral e também dos médicos, municiando-os de dados e informações com que possam sensibilizar os pacientes sobre a relevância da medicina no atendimento de suas necessidades.

Justiça e honorários – Como parte dessa estratégia, também ocupam espaço distinto o encaminhamento de demandas dos dermatologistas ao Judiciário e ao Ministério Público por intermédio da SBD. Nos tribunais e fóruns adequados, a Sociedade buscará a proteção do campo de atuação dos especialistas contra os abusos ilegais promovidos por profissionais de outras categorias da área da saúde.

Na perspectiva de assegurar direitos legais, também serão acionados parlamentares (deputados federais e senadores) e órgãos do Executivo (Ministério da Saúde e agências reguladoras) para que compreendam a pauta da dermatologia e possam apoiá-la nesse enfrentamento. Na condução dessa frente, a SBD buscará sempre contar com o apoio institucional de outras representações de classe, como a Associação Médica Brasileira (AMB) e o Conselho Federal de Medicina (CFM).

Entre os pontos de reivindicação que serão tratados nesses encontros com gestores e tomadores de decisão, está um tema urgente para os dermatologistas: a recomposição de honorários pagos por consultas e procedimentos pelas operadoras de planos de saúde. Será igualmente abordada a atualização dos itens de atendimento em dermatologia que constam do rol da chamada Tabela TUSS, que há anos se encontra defasada.

Organização e ensino – Outra frente de ação da SBD será a organização institucional. Isso significa trabalhar para que a Sociedade conte com uma administração participativa, acolhendo sugestões e propostas de quem está nos consultórios e hospitais. De modo prático, o resultado dessas ações será contar com processos internos mais ágeis e até com a ampliação do programa de parcerias, com maior oferta de benefícios e descontos especiais aos associados.   

Também terá destaque a atuação da entidade na qualificação do ensino em dermatologia. Nesse sentido, o objetivo da SBD inclui promover o alinhamento da Matriz de Competência das residências na especialidade; buscar a maior integração das comissões das entidades que se dedicam ao tema com a sua diretoria; e atuar com a AMB pela valorização da formação na residência médica e nas especializações nos Serviços Credenciados.

Pesquisa e ciência – Também existe a preocupação com a produção científica da instituição em termos de quantidade e de qualidade. Entre os produtos da SBD, destaca-se a publicação Anais Brasileiros de Dermatologia (ABD), que circula há 36 anos como referência para a área médica.

Nesse campo, a atual gestão da SBD pretende investir em infraestrutura logística para que suas publicações mantenham alto nível e contem com celeridade e autonomia editorial, o que resultará em relevância das citações e aumento de sua importância no cenário internacional.

Além disso, fazem parte dos planos do grupo diretor a promoção de programas de incentivo à pesquisa e à produção científica nos Serviços Credenciados e o apoio à realização de estudos em hanseníase, prevenção do câncer da pele, vitamina D, entre outras áreas de interesse social. Da mesma forma, já estão em fase de estudos a expansão dos programas e cursos a distância por videoconferências, chats e web.

Sinergia – Para atingir todos esses objetivos e outros que surgirão à medida que novos desafios surjam, a SBD conta com o desenvolvimento de parcerias com as filiadas regionais, o que fará com que o conjunto de ações planejadas alcance repercussão ainda maior. No entendimento da atual Diretoria, o trabalho conjunto é essencial para superar as metas colocadas, o que inclui o apoio de cada associado.  

Na liderança desse movimento que pretende trazer grandes avanços para a dermatologia brasileira, a SBD conta com os seguintes nomes: Sérgio Palma (PE), presidente; Mauro Enokihara (SP), vice-presidente; Cláudia Alcântara Gomes (RJ), secretária-geral; Egon Daxbacher (RJ), tesoureiro; Flávia Vasques Bittencourt (MG), primeira secretária; e Leonardo Mello (ES), segundo secretário. Também integram a equipe: Hélio Amante Miot (SP), coordenador científico; Clívia Oliveira Carneiro (PA), coordenadora da Biblioteca; Caio de Castro (PR), coordenador médico do Jornal da SBD; e Maurício Amboni Conti (SC), coordenador médico da Mídia Eletrônica.

Conheça a Diretoria Estendida e coordenadores de Departamentos

 

 

 





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados