Homens também podem ter estrias iguais às das mulheres



Homens também podem ter estrias iguais às das mulheres

22 de maio de 2010

Fatores como genética, obesidade e excesso de musculação podem favorecer o surgimento das estrias

Engana-se quem pensa que estrias teimam em marcar apenas o corpo feminino. As linhas inicialmente vermelhas e, depois, brancas também incomodam os homens, embora em menor escala. De acordo com o dermatologista Jorge Mariz, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e responsável pela Personal Clinic, no Rio de Janeiro, é cinco vezes mais comum em mulheres.

‘Não existe muita explicação para acometer mais mulheres. Pode-se dizer que 90% dos casos de gravidez evoluem para estria e o homem não fica grávido. Tem também o fator hormonal. Não é comum aparecer estria após os 45 anos, mas tem se observado que, com a reposição hormonal, surge depois dessa idade’, disse o médico.

O aspecto clínico em ambos os sexos é igual e o rompimento das fibras elásticas por conta do estiramento da pele acontece principalmente dos 15 aos 20 anos. É que uma das causas do incômodo estético é justamente o grande crescimento durante a adolescência. Enquanto o homem aumenta muito a altura, a mulher desenvolve as mamas e alarga o quadril. As moças ficam com marcas principalmente nas nádegas, abdômen e mamas; e os rapazes nas costas e parte externa das coxas.

Os outros motivos são predisposição genética, obesidade, musculação excessiva (normalmente em homens) e automedicação tópica (em especial, corticoides fluorados).

PREVENÇÃO

A prevenção consiste em evitar o ganho excessivo de peso – por meio de dieta balanceada e exercícios físicos – e hidratar a pele, para deixá-la mais elástica, com produtos à base de ureia, óleo de macadâmia ou de semente de uva, entre outros. Essas medidas não afastam a possibilidade de surgir estrias, mas conseguem diminuir o problema. ‘Homens não costumam procurar aspectos preventivos, apesar de essa cultura estar mudando um pouco. No entanto, se tiver histórico familiar, seria interessante tentar prevenir.’

TRATAMENTOS

Nenhum tratamento cura totalmente as linhas indesejáveis, apenas as minimiza. Vale lembrar que o resultado dos procedimentos é melhor nas estrias recentes, quando ainda estão vermelhas e elevadas (processo inflamatório).

Basicamente, a aposta é associar luz, laser e radiofreqüência, de acordo com cada caso. De maneira geral, o recomendado é cerca de cinco sessões. O médico pode ainda prescrever o uso de cremes, principalmente com ácido retinoico. Essas opções podem ser utilizadas por adolescentes





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados