Dias mais quentes exigem cuidados para a prevenção de doenças



Dias mais quentes exigem cuidados para a prevenção de doenças

17 de novembro de 2010

Nas épocas mais quentes do ano, a população tem que ter cuidado redobrado com a saúde. As doenças causadas pelas altas temperaturas, calor e umidade excessivas são recorrentes neste período, a exemplo das micoses, brotoejas, pano branco, insolação, desidratação e queimaduras solares.

Conforme a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional Bahia, a dermatologista Anete Olivieri, um dos principais causadores de parte das “doenças de verão” são os fungos.

Responsáveis pelo pano branco e micoses, os micro-organismos proliferam em locais úmidos e com temperatura elevada. “A região da virilha e entre os dedos são os locais mais atingidos, devido à temperatura e à umidade do próprio corpo”, explica Olivieri.

Outro problema bastante característico no verão são as queimaduras solares. O tempo prolongado de exposição no sol, sem a proteção adequada, pode causar lesões de 1º e 2º graus. “Além do desconforto durante esse período, é preciso enfatizar que isso pode ocasionar problemas futuros graves, como o câncer de pele” ressalta Olivieri.

CALOR

As crianças também sofrem com o aumento da temperatura. A brotoeja, que acomete principalmente bebês e crianças, é causada devido à inflamação e obstrução das glândulas sudoríparas. O fechamento da glândula impede que o suor chegue à superfície da pele, ocasionando irritação e coceira, que incomodam a criança.

Mãe de dois filhos, a dona de casa Adriana Santos, utilizou-se de métodos caseiros para tratar o filho de 7 anos, que teve brotoeja no mês passado. “Ele coçava muito, tanto que até feriu”, conta Adriana, que passou a dar banho nos garotos com mais frequência nos dias mais quentes.

CUIDADOS

Para evitar as doenças típicas nesse período, algumas ações simples podem evitar transtornos durante a época mais quente do ano. Secar bem o corpo, ficar em ambientes ventilados, usar roupas preferencialmente de algodão, não ficar com roupas molhadas por muito tempo, beber bastante água, e claro, se proteger do sol, usando protetor solar, que deve ser reposto a cada duas horas, chapéus, bonés, conforme as recomendações dos especialistas.

Mas, para quem não tomou as devidas precauções e percebeu alguma alteração, seja na pele ou no organismo, é preciso procurar um médico imediatamente para obter o diagnóstico e o tratamento, mais adequados.





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados