Combate à Covid: SBD e entidades parceiras divulgam documento com orientações a profissionais e pacientes com doenças inflamatórias imunomediadas em uso de drogas imunossupressoras



Combate à Covid: SBD e entidades parceiras divulgam documento com orientações a profissionais e pacientes com doenças inflamatórias imunomediadas em uso de drogas imunossupressoras

22 de março de 2020
imagem-coringa-branco-800x600.jpg

Diante da preocupação com a pandemia de infecção pelo SARS-Cov-2 (novo Coronavírus 2019), que causa a doença conhecida como Covid-19, do reconhecimento da sua transmissão comunitária no país e das medidas adotadas pelas autoridades sanitárias, as Sociedades Brasileiras de Dermatologia (SBD), de Reumatologia (SBR) e de Infectologia (SBI), assim como o Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil (GEDIIB) elaboraram um documento com esclarecimentos e atualizações sobre o tema. 

O texto, voltado aos profissionais da saúde e pacientes com doenças inflamatórias imunomediadas reumatológicas, dermatológicas e gastrointestinais avalia a relação de diferentes aspectos da infecção pelo SARS-Cov-2  em função de protocolos e tratamentos consagrados, até o momento. Destaque-se que os conhecimentos ainda limitados sobre o novo coronavírus e a Covid-19 exige acompanhamento frequente de resultados de estudos em andamento, que podem implicar em alteração de diretrizes do Ministério da Saúde e de outros órgãos oficiais. A seguir, a síntese de algumas das principais conclusões: 

1)    Para todos, incluindo pessoas em imunossupressão, recomendamos fortemente que permaneçam atentos às últimas informações sobre o surto da Covid-19 em suas regiões, por meio dos sites da OMS, do MS e das autoridades públicas locais e nacionais de sua região, assim como das sociedades científicas;

2)    Até que a vacina específica esteja disponível, a melhor estratégia de prevenção contra o coronavírus e a Covid-19 é a adoção de medidas de higienização e de restrição ao contato social; 

3)    Ainda não há informações na literatura que demonstraram maior risco para infecção pelo coronavírus mais grave nos pacientes em imunossupressão. No entanto, baseado em epidemias anteriores, os especialistas acreditam que possa haver esta possibilidade. Por isso, essa população deve adotar as medidas preventivas rigorosamente;

4)    Além dessas precauções, aconselhamos aos pacientes em imunossupressão que entrem em contato com seus médicos, se houver suspeita de uma infecção, com o objetivo de receber orientações o mais precocemente possível; 

5)    Estes pacientes devem manter seu tratamento regularmente, até recomendação em contrária de seus médicos. Uma eventual suspensão deve ser uma decisão compartilhada, caso haja sinais de infecção e/ou comprovação da infecção pelo coronavírus, especialmente os corticosteroides, que devem ser retirados de maneira gradativa; 

6)    Caso algum paciente apresente sintomas da infecção pelo coronavírus deve se afastar de suas atividades profissionais até que esteja completamente livre das manifestações, sempre sob orientação do seu médico; 

7)    Todas as pessoas, principalmente em imunossupressão, devem evitar viajar para os locais onde existam casos de coronavírus confirmados. Da mesma forma, se possível, deve-se evitar ambientes com aglomerações humanas.
 

Para acessar a íntegra do documento elaborado pela SBD e entidades parceiras, clique aqui.

Rio de Janeiro (RJ), 22 de março de 2020.

Sociedade Brasileira de Dermatologia
Gestão 2019/2020





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados