SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

Envie sua proposta e seja um associado »

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.

Submit your proposal and be an associate »

Notícias - Fique por dentro do mundo da Dermatologia.

Eventos

Em live aberta ao público, especialistas da SBD elucidam mitos e verdades sobre a dermatite atópica

25/09/2020 02:09

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), com apoio da AbbVie, promoveu na quarta-feira (23/9), uma live voltada à população onde foram abordados os mitos e verdades da Dermatite Atópica (DA). O encontro virtual gratuito foi transmitido pelo canal do Youtube da instituição e ultrapassou milhares de visualizações. A transmissão contou com depoimentos de uma paciente de 23 anos e da mãe de uma criança de quatro anos que também foi diagnosticada com a doença. Ambas relataram as dificuldades, lutas diárias, desafios e importância de tratamento com um dermatologista.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A LIVE NA ÍNTEGRA

Na oportunidade, participaram os seguintes especialistas: Clarissa Prati – assessora do Departamento de Dermatologia Pediátrica da SBD; Guilherme Muzi – dermatologista com Título de Especialista pela SBD/AMB; e Sérgio Palma, presidente da SBD, que atuou como moderador da conversa. Todos responderam a perguntas enviadas pela população que acompanhou a transmissão.

Setembro - O presidente da SBD abriu a sessão reforçando a necessidade de a DA ser divulgada de forma mais ampla na mídia. Também alertou para a importância do tratamento precoce e do papel do dermatologista. “Em setembro, a SBD está promovendo campanha sobre a doença em todos os seus canais - Instagram, Facebook e Youtube – para sensibilizar os brasileiros para esse problema. A dermatite atópica pode atrapalhar muito a qualidade de vida dos pacientes quando não é adequadamente acompanhada”, disse.

Palma destacou ainda o papel chave do dermatologista na assistência a esse paciente: “A dermatologia é uma especialidade médica que cuida dos transtornos e das doenças que afetam a pele, cabelos e unhas em pessoas de todas as faixas etárias. A SBD conta com mais de dez mil especialistas espalhados pelo País e que são capacitados e bem formados por meio dos Programas de Residência Médica. Por isso, sempre procurem um acompanhamento de um profissional habilitado. Além disso, a informação e a educação em saúde são os melhores instrumentos para se evitar problemas maiores”.

Versão - Durante o bate-papo, diversos mitos e verdades foram sendo apresentados e os especialistas foram apresentando a versão correta sobre cada um dos tópicos. Na apresentação, foram discutidas questões como: a relação entre o estresse e a DA; se só crianças apresentam a doença; as manifestações da doença de acordo com a faixa etária; o elo entre DA e infecções de vias aéreas superiores; a necessidade de dietas restritivas.

Também se falou sobre a relação entre o clima e a DA; a confusão entre dermatite e eczemas; manifestações no couro cabeludo; e o tratamento da doença em peles negras. Ao final da live, os especialistas reforçaram a importância de o paciente conhecer bem a doença.  “Os pacientes que têm doenças crônicas, como a DA, precisam ser apropriar dessa realidade e uma das formas disso acontecer é entender a doença. Esses momentos de discussão são muito ricos, pois funcionam para que o paciente compreenda o seu diagnóstico e possa lidar com ele da melhor forma possível, permitindo a ele uma vida plena, feliz, e, especialmente, no caso das crianças, para que possam se desenvolver da melhor forma possível”, disse Clarissa Prati.

Guilherme Muzy acrescentou: “A melhor forma que existe para se proteger contra uma enxurrada de opiniões e achismos sobre a DA é nos apropriarmos da doença que temos e entendermos, junto com os médicos dermatologistas, que há tratamento e formas de controlar esse problema”, finalizou.

 

Compartilhe: