SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

Envie sua proposta e seja um associado »

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.

Submit your proposal and be an associate »

Notícias - Fique por dentro do mundo da Dermatologia.

Campanhas

Dermatologistas organizam grande encontro online, com participação da Miss Brasil, para esclarecer a população sobre riscos da hanseníase

27/01/2021 04:03

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) promove um evento público para conscientizar a população a respeito da hanseníase. Será uma oportunidade para a população saber mais sobre essa doença, entender seus sinais e sintomas e ser informada sobre seus direitos como pacientes, por meio de políticas públicas de saúde. O encontro será transmitido por meio do canal da SBD no YouTube, a partir de 14h, no sábado (30/1), e integra a campanha que a SBD organizou este ano para conscientizar a população sobre o tema, cujo slogan é “a hanseníase é negligenciada, mas sua saúde não! ”

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR AO EVENTO ONLINE

Além de especialistas convidados e de representantes do Ministério da Saúde e de movimentos organizados de conscientização de pessoas com hanseníase, a live da SBD terá como a participação de Júlia Gama, Miss Brasil 2020 e embaixadora da luta contra a hanseníase no mundo. Segundo levantamento da SBD, com base em dados oficiais, ao longo da última década, o Brasil verificou 312 mil casos de hanseníase, o que coloca o País no segundo lugar do ranking mundial de registros, ficando atrás apenas da Índia.

Indicadores - “No Brasil, cerca de 30 mil novos casos de hanseníase são detectados todos os anos. Esse número revela a dimensão do problema de saúde pública que essa doença infectocontagiosa ainda representa. É uma questão negligenciada, principalmente porque, mesmo havendo cura, ela ainda é endêmica em várias regiões do País, principalmente nas localidades com indicadores socioeconômicos mais baixos”, afirmou o presidente da SBD, Mauro Enokihara.

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR OS NÚMEROS DA HANSENÍASE NO BRASIL

Na avaliação de Júlia Gama, que tem atuado de forma ativa como militante dessa causa, é fundamental informar a população para promover o diagnóstico precoce da doença e superar o estigma e o preconceito que ainda cercam o tema. Segundo ela, “o enfretamento da hanseníase é um dever do poder público, mas também de toda a sociedade. Por carregar um título que representa o meu País, me sinto profundamente comprometida em utilizar essa visibilidade para chamar atenção para o problema e esclarecer alguns mitos recorrentes sobre a doença, especialmente sobre a sua forma de transmissão”.

Janeiro Roxo – A live do próximo sábado (30) acontece na véspera dos Dias Mundial e Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, instituído pela Lei 12.135/2009. A norma estabelece sempre o último domingo de janeiro para sediar essas comemorações, assim como a data global. Entre os temas que serão debatidos no encontro online, estão: sinais e sintomas da hanseníase, discussão sobre esquemas de tratamento, mitos e verdades sobre a doença, direitos dos pacientes e dos profissionais, e luta contra o estigma e o preconceito.

Além da Miss Brasil, Júlia Gama, já têm presenças confirmadas na atividade o vice-presidente da SBD, Heitor de Sá Gonçalves, e a coordenadora do Departamento de Hanseníase da entidade, Sandra Durães. Para acompanhar as discussões, inclusive enviando suas perguntas, o interessado precisa apenas acessar o canal da Sociedade Brasileira de Dermatologia no YouTube.

Sinais e sintomas - Causada pela bactéria mycobacterium leprae, a hanseníase provoca lesões brancas ou avermelhadas na pele, que são insensíveis à variação térmica (calor ou frio), ao toque e à dor. Ao atingir os nervos, especialmente de mãos e pés, a doença provoca deformidade e incapacidades que podem se tornar permanentes. A transmissão ocorre pelas vias aéreas – gotículas de saliva ou secreções do nariz –, através do contato prolongado com uma pessoa doente. Tocar a pele do paciente não transmite a doença. Além disso, logo após o início do tratamento, o paciente não tem mais nenhuma capacidade de transmissão.

“O diagnóstico da hanseníase é essencialmente clínico e todo brasileiro tem acesso ao tratamento de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). É importante que essas informações sejam divulgadas à sociedade como um todo, uma vez que a doença pode afetar ambos os sexos e pessoas de qualquer idade. Por isso, convidamos todos a participarem do nosso encontro virtual e a se mobilizarem por esse compromisso social de erradicarmos a hanseníase do Brasil”, frisou o presidente da SBD.

 

 

Compartilhe:
   

Siga a SBD e fique atualizado.