Destino correto de medicamentos



Destino correto de medicamentos

8 de dezembro de 2010

O descarte de medicamentos de maneira incorreta causa grande impacto ambiental na medida em que as substâncias medicamentosas entram em contato com as redes de esgoto da cidade. Além de contaminar a água e o solo, favorece riscos à saúde. A reciclagem ou o extravio correto das drogas, dentro do prazo de validade ou vencidos, recai à população e deve estar no consciente do consumidor.

Segundo a farmacêutica da Farma Call, Fernanda Azeredo, o problema é comum e acontece ao jogar remédios no lixo doméstico ou na rede de esgoto, ‘Alguém pode encontrar o produto e consumi-lo, causando intoxicação tanto em humanos como em animais’, explica. Quando lançados na água, ocorre a contaminação, atingindo diretamente a biodiversidade.

‘Infelizmente, esse problema recai ao consumidor, que deve estar consciente das conseqüências do descarte inadequado de medicamentos, a fim de evitar poluições’, ressalta Paulo Kugnharski, diretor da Farma Call.

O destino de drogas inutilizadas são aterros credenciados e de acordo com as regulamentações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. Por esse motivo, Fernanda aconselha que quando uma pessoa encontra um medicamento fora do prazo da validade, ela deve manter o produto intacto. ‘Deve-se deixar o medicamento na sua embalagem original e levá-lo ao ponto de coleta mais próximo’, agrega a profissional.

Em Porto Alegre/RS, medicamentos vencidos e dentro do prazo de validade podem ser encaminhados à UFRGS, na Rua Ramiro Barcelos, 2.500. ‘Os vencidos são destinados aos aterros sanitários e os remédios que estão ainda em condições de uso são doados.’, completa a farmacêutica.





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados