Dermatologista da SBD fala sobre nova solução contra as olheiras



Dermatologista da SBD fala sobre nova solução contra as olheiras

22 de julho de 2010

Nova substância produzida por um cogumelo japonês ajuda a clarear a região das olheiras

As mulheres são avessas a qualquer tipo de marca indesejada, principalmente na face. Manchas arroxeadas e acastanhadas ao redor dos olhos, as olheiras, quebram a estética do rosto e denunciam uma noite mal dormida, porém nem sempre sua origem tem a ver com o sono.

Essa hiperpigmentação que resulta nas olheiras abaixo dos olhos é causada por diversos motivos, entre eles fatores genéticos, étnicos e o avanço da idade, características que contribuem para que a pele fique mais fina nessa região. Esses pontos podem ainda ser agravados com outros fatores, como o tabagismo, o cansaço, o excesso de bebidas alcoólicas e até mesmo o período menstrual.

Para driblar tais inconvenientes surgem os cremes à base de ácido kójico, produtos que proporcionam melhora de 50% das olheiras e ainda possuem um diferencial importante, pois não costumam causar irritação na região que geralmente o tratamento com hidroquinona e a vitamina K causam.

O Ácido Kójico é uma substância produzida por um cogumelo japonês chamado Koji, usado também na fermentação do arroz para produção de saquê. Sua grande vantagem é o fato de não ser fotossensível, ou seja, não produz manchas caso a pele seja eventualmente exposta ao sol, podendo ser usado inclusive durante o dia.

Além do seu efeito despigmentante, o ácido kójico também atua como antisséptico, impedindo a proliferação de fungos e bactérias na pele. Também tem ação antioxidante, ajudando na prevenção do envelhecimento cutâneo e pode ser usado em formulações junto ao ácido glicólico e a vitamina C, entre outros ativos. Já a principal desvantagem é que o ácido Kójico é considerado menos potente do que a hidroquinona como clareador, e por isso os resultados costumam levar mais tempo para aparecer.

Outro forte aliado para a prevenção das olheiras é o uso diário de filtro solar com FPS de fator 15, no mínimo, ao redor dos olhos. “É uma região de fácil pigmentação, por isso a exposição solar agrava o problema”, afirma Andreia Mateus Moreira, dermatologista e coordenadora do Departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Outra dica é usar o mesmo protetor que se costuma aplicar no rosto, mas desde que ele seja testado oftalmologicamente, para não agredir as pálpebras e os olhos. Algumas versões do produto, em forma de bastão, são específicas para a região.





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados