Com recorde de inscritos, 42º Dermatrop promove debates sobre temas essenciais à dermatologia



Com recorde de inscritos, 42º Dermatrop promove debates sobre temas essenciais à dermatologia

12 de dezembro de 2020
42o-dermatrop---abertura.png

Discutir os principais assuntos relacionados à dermatologia clínica e sanitária do Brasil. Esse é o intuito do 42º Simpósio de Dermatologia Tropical (Dermatrop), realizado a partir de sexta-feira (11/12), em formato totalmente online, pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). O evento, que atingiu nesta edição recorde de inscritos, traz em sua programação científica novidades a respeito do diagnóstico e tratamento de doenças infecciosas, parasitárias e outras questões diretamente relacionadas à esfera da saúde pública brasileira.

Conforme ressaltou o presidente da SBD, Sérgio Palma, na sessão de abertura do Simpósio, as cerca de 500 inscrições verificadas neste ano de cenário atípico são a prova do interesse e comprometimento dos dermatologistas brasileiros em oferecer atendimento de alta qualidade a seus pacientes.

“Nos próximos dois dias, estaremos juntos discutindo diferentes aspectos da micologia, infectologia, microbiologia, epidemiologia, infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e tantos outros temas essencias, que correspondem à boa parte da base de ensino encontrada nos serviços de residência e especialização credenciados à SBD. Todos esses são assuntos devem receber atenção dos nossos especialistas, pois representam problemas negligenciados de saúde pública, para os quais  precisamos estar preparados para agir”, disse.

Chave de ouro – Na avaliação de Sinésio Talhari, membro do grupo de coordenadores do Simpósio, o encontro encerra com chave de ouro a série de grandes eventos virtuais promovida pela SBD neste ano. Segundo enfatizou o especialista, desde o início da atual gestão, toda a diretoria da SBD tem se empenhado para contemplar as variadas áreas da dermatologia nas ações capitaneadas pela entidade.

Segundo ele, “as atividades abrangem desde a cosmetologia, matéria que assume cada vez mais aspecto central dentro da nossa atuação, até as doenças negligênciadas. O 42º Dermatrop é um exemplo claro desse compromisso, pois a cada ano apresenta programação científica mais aprimorada. Todo esse esforço é fundamental para fortalecer o prestígio dos dermatologistas, uma vez que reforça a amplitude da nossa especialidade”.

Homenagem – Heitor de Sá Gonçalves (CE), também integrante do grupo de coordenadores do 42º Dermatrop, parabenizou o empenho da atual gestão, que prontamente mobilizou a Comissão Organizadora e não desanimou diante dos desafios – técnicos e logísticos – impostos pela pandemia de Covid-19. O professor fez uma homenagem em sua participação.

“Queria dedicar esse 42º Simpósio a uma das estrelas mais brilhantes da dermatologia tropical, o querido professor Alberto Cardoso, que atualmente encontra-se afastado de suas atividades, mas que em breve retornará para nos agraciar com sua experiência e sabedoria”, afirmou.

Oportunidade – Na sequência, Walter Loureiro, outro componente da Comissão Organizadora, destacou o período de alta produtividade científica vivenciado pela SBD. Em suas palavras, a entidade conseguiu por meio do trabalho ininterrupto e coletivo transformar o cenário de crise numa oportunidade de investir em novos meios de atualizar e interagir com seus associados.

“Pensamos que 2020 seria um ano perdido, em razão do novo coronavírus. No entanto, o investimento em tecnologia possibilitou a elaboração de eventos à distância e, apesar do formato online, foram mantidas a excelente qualidade técnica e a abrangência da programação em todas as ações. O 42º Dermatrop, em especial, traz discussões que contemplam desde especialistas que já atuam há tempos na área até aqueles que se formaram agora e querem esclarecer dúvidas específicas com grandes experts”, pontuou.

Debates – Com caráter multidisciplinar, o primeiro dia do 42º Dermatrop ofereceu debates a respeito de temas como: “Acidentes com animais peçonhentos em ribeirinhos e pescadores”; “Otimizando a prescrição de antibióticos em Dermatologia”; “Diagnóstico diferencial das úlceras genitais”; “Atualização no tratamento de condilomas”; “Dengue, Zika e Chikungunya – o que o dermatologista deve saber?”; “Doença Mão, Pé e Boca”; e mais. Além disso, o evento permitiu a participação ativa dos congressistas, que puderam enviar suas dúvidas e sugestões aos palestrantes por meio do chat.

Confira aqui a programação completa

Ao finalizar as explanações do primeiro dia de atividades, o presidente da SBD, Sérgio Palma, retomou a palavra para adiantar aos congressistas que a próxima edição do Dermatrop está prevista para acontecer na cidade de Recife (PE), nos dias 21 e 22 de maio de 2021. Segundo o especialista, a entidade continuará atuante “a fim de levar educação continuada e auxiliar seus  associados em qualquer circunstância” , finalizou.

 





SBD

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Av. Rio Branco, 39 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20090-003

Copyright Sociedade Brasileira de Dermatologia – 2021. Todos os direitos reservados