SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

SBD

Centros Dermatológicos

SBD

Regionais

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.

Notícias - Fique por dentro do mundo da Dermatologia.

Na Mídia

Nota oficial: Sociedade Brasileira de Dermatologia esclarece que isotretinoina oral não está associada à menopausa precoce

25/05/2018 05:28

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) informa que a isotretinoína oral, utilizada para tratamento sistêmico da acne vulgar moderada a grave desde 1982, é uma substância chamada retinoide, derivada da vitamina A, com ação principal na glândula sebácea, via mecanismo de ligação com receptores retinoides, sem qualquer ação hormonal direta ou indireta

Como não é uma droga de depósito, dois ciclos menstruais após o término do uso da mesma, se desejar, a paciente pode engravidar. O que não pode é engravidar durante o uso da medicação. Os efeitos colaterais da utilização da droga são bastante conhecidos e o especialista sabe prevenir, detectar e tratar, passando pela indicação correta, dose e tempo de tratamento, assim como acompanhamento adequado. 

Não há relatos consistentes muito menos estudos clínicos prospectivos que sugiram a real associação de uso de isotretinoína oral na juventude com menopausa precoce. Existe um estudo realizado com 82 jovens mulheres na Turquia, publicado por partes em dois diferentes periódicos, que mostra uma diminuição da função ovariana após seis meses do término do tratamento com normalização dos parâmetros após mais seis meses, ou seja, após 12 meses do término do tratamento os parâmetros de função ovariana estavam normais, sugerindo uma diminuição temporária da produção ovariana. Pacientes que usam a isotretinoína, usam também contraceptivos que certamente levam à diminuição da função ovariana. Não há nada publicado em menopausa. 

Esses estudos, para mostrar eficácia científica, precisariam ser realizados em grande número de mulheres e com muito mais tempo de acompanhamento. O que pode acontecer é a paciente fazer uma associação da sua menopausa precoce ao uso da medicação na juventude, sem qualquer base de realidade, podendo estar relacionada a outros fatores e outros medicamentos. 

A prática dermatológica com essa substância nos últimos quase 40 anos mostra eficácia, segurança, excelentes resultados prevenindo cicatrizes físicas e psicológicas.

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)
Gestão 2017/2018

Compartilhe:
   

Siga a SBD e fique atualizado.