SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

Envie sua proposta e seja um associado »

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.

Submit your proposal and be an associate »

SBD CORONAVÍRUS - Fique atualizado.

COVID-19

Em SBD Live, dermatologistas lançam Guia Prático de Manejo da Psoríase e Covid-19

25/06/2020 09:12

Esclarecer as principais dúvidas dos dermatologistas sobre o tratamento de pacientes com psoríase durante a pandemia deflagrada pelo novo coronavírus. Esse é o intuito do “Guia prático de manejo da psoríase e Covid-19” lançado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), em parceria com a Novartis, na terça-feira (23/6), durante a sexta edição do projeto SBD Live: série de encontros virtuais que vêm sendo organizados para informar e capacitar tecnicamente os especialistas da entidade sobre temas relacionados à Covid-19. 

Clique aqui para acessar a apresentação

O evento foi organizado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia com patrocínio da Novartis e apoio da Manole. Na oportunidade, as centenas de associados que acompanharam a conferência – transmitida por meio de plataforma virtual exclusiva – puderam verificar uma introdução sobre os aspectos mais relevantes na condução da psoríase abordados no guia. Os três expositores do dia eram os autores do documento.  

A mediação do evento foi conduzida pelo presidente da SBD, Sérgio Palma, que salientou o empenho da entidade em fornecer fontes confiáveis voltadas para a qualificação profissional dos dermatologistas, em meio a atual crise. “Os associados já tem à sua disposição a página especial “SBD Coronavírus", na qual estão reunidas informações científicas de interesse da nossa especialidade sobre Covid-19. É um repositório de textos e documentos, no qual já é possível acessar inclusive esse novo e-book com recomendações práticas para a assistência médica dos pacientes com psoríase”, afirmou. 

Clique aqui para acessar a plataforma SBD Coronavírus

Comorbidades – Na ocasião, o coordenador do Ambulatório de Psoríase do Hospital de Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), Ricardo Romiti, destacou o resultado de estudos recentes que demonstram não existir risco aumentado de complicações da Covid-19 em pacientes com psoríase. No entanto, segundo disse, os especialistas devem ficar em alerta, uma vez que a associação da psoríase com outras comorbidades é comum.

“Hipertensão, obesidade e outras comorbidades são mais prevalentes em pacientes com psoríase. Em média, indivíduos com manifestações graves da doença têm uma expectativa de vida de três a quatro anos mais curta, se comparado à população em geral. Isso ocorre porque trata-se de uma patologia sistêmica, com repercussões amplas e não apenas na pele. Por isso, é recomendado atenção, pois sabemos que essas comorbidades são apontadas como fator de risco para o agravamento da Covid-19”, pontuou.

Tratamento – O dermatologista comentou ainda sobre a interação dos tratamentos convencionais para psoríase e possíveis riscos relacionados diante do cenário atual de pandemia. Entre os medicamentos apontados pelo Ricardo Romiti, constam: acitretina e imunossupressores, como metotrexato e ciclosporina. 

Na sequência, o coordenador dos Ambulatórios de Psoríase e Imunossupressores do Hospital Federal dos Servidores do Estado (RJ) e do Hospital Naval Marcílio Dias, Paulo Oldani, indicou a condução mais adequada para os pacientes que utilizam imunossupressores, em caso de infecção pelo novo coronavírus, segundo as recomendações de diferentes entidades internacionais. 

“Se o paciente apresentar sintomas agudos da Covid-19, a indicação é suspender os imunossupressores. Para aqueles saudáveis, que já fazem seu tratamento há tempos, o ideal é continuar com a terapêutica para evitar uma recidiva da psoríase, com retorno dos sintomas. No entanto, se o paciente possui um quadro mais leve e estável da doença e ainda não iniciou o tratamento, a recomendação é aguardar. Isso porque a introdução de imunossupressores pode estar associada a eventuais efeitos adversos, motivo este de apreensão na atual crise”, declarou. De acordo com o especialista, em todos os casos, o paciente deve visitar seu dermatologista para uma avaliação individual do caso. 

Orientações – A apresentação online contou ainda com a participação do membro do Group for Research and Assessment of Psoriasis and Psoriatic Arthritis, Gleison Duarte, que listou aspectos práticos de prevenção e segurança para clínicas e serviços de terapia assistida, com base nas orientações da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR).

Além disso, o especialista comentou sobre alterações legais em relação aos direitos do trabalhador e deveres do empregador, em função da pandemia. Segundo o médico, a mitigação de infecção ocupacional pode ser alcançada por meio do estabelecimento de medidas de biossegurança com foco na proteção do paciente e dos colaboradores, como flexibilização do horário de trabalho, adoção de escalas laborais, uso obrigatório de máscaras, entre outras. 

Por fim, os dermatologistas da SBD esclareceram ainda uma série de questionamentos dos espectadores, fornecendo dicas sobre a manutenção do trabalho em consultórios, uso de imunossupressores por profissionais de saúde com psoríase, critérios para retorno ao trabalho após a infecção por Covid-19 e mais.

Compartilhe: