SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

Envie sua proposta e seja um associado »

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.

Submit your proposal and be an associate »

Estresse, tensão, ansiedade e falta de sol podem agravar quadros de psoríase


Além de desencadear problemas emocionais, devido, sobretudo, ao isolamento social, a pandemia do novo coronavírus também tem agravado problemas de pele. O estresse e a falta de sol, causados pelo tempo dentro de casa, são um gatilho para desencadear um aumento e o agravamento de doenças de pele, principalmente a psoríase, doença inflamatória crônica, não contagiosa, que afeta diretamente milhares de pessoas no Brasil e pode atingir todas as idades. A prevalência da psoríase na população brasileira é de aproximadamente 1,3% e na população mundial é de cerca de 2%.

— A tensão emocional e a ansiedade, relacionadas à pandemia do novo coronavírus, tendem a agravar doenças psicodermatológicas, como a psoríase. Medicações como a cloroquina, por exemplo, também podem exacerbar a doença. Além disso, por estarem em casa, muitas pessoas não se expuseram ao sol ou a atividades ao ar livre, mesmo sabendo que a luz UVB é benéfica para controle da doença — apontou a Dra. Renata Magalhães, médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

A causa da psoríase ainda não é totalmente conhecida, mas sabe-se que é uma doença imunomediada (quando o sistema de defesa do organismo ataca células saudáveis do próprio corpo) que tem relação com fatores genéticos. Alguns gatilhos podem desencadear ou agravar o quadro, como estresse, tabagismo, infecções e uso de algumas medicações.

Geralmente, a doença é percebida através do aparecimento de lesões avermelhadas e elevadas, com escamas esbranquiçadas na superfície. Coceira e dor associada a rachaduras na pele são outros sintomas. Os locais mais atingidos são o couro cabelo, cotovelos, joelhos e as costas, podendo também aparecer em outras regiões do corpo como nas unhas (ungueal), mãos e pés (palmo-plantar) e articulações (artropática ou artrite psoriásica). Existem também variantes graves com lesões com pus (pustulosa) e aquelas que se espalham por todo corpo (eritrodérmica).

De acordo com a Dra. Renata Magalhães, a melhor forma de prevenir ou melhorar o quadro de psoríase é manter hábitos de vida saudáveis, usar hidratantes, tomar banhos de sol — de forma moderada —, evitar o traumatismo da pele, além de se consultar com um dermatologista periodicamente.

— Um terço dos pacientes com psoríase desenvolve artrite psoriásica. Além disso, obesidade, diabetes, hipertensão, enfermidades coronarianas e doença inflamatória intestinal, como a Doença de Crohn, podem estar associadas à psoríase. Condições psiquiátricas, como ansiedade, depressão e abuso de substâncias, também podem acometer grande parte dos pacientes — declarou a especialista.

A escolha do tratamento é feita pelo dermatologista, tendo em vista a gravidade e o tipo do quadro. Existem tratamentos tópicos com pomadas e cremes para formas leves e localizadas, fototerapia com luz UV controlada, medicamentos orais e medicamentos injetáveis (imunobiológicos).
 

Dia Mundial de Combate à Psoríase

No dia 29 de outubro, é comemorado o Dia Mundial de Combate à Psoríase. Tendo em vista a data, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) começou mais uma campanha de conscientização para a população.

Neste mês de outubro, estão sendo divulgadas informações sobre a psoríase, doença crônica inflamatória, não contagiosa e que tem tratamento, apesar de ser recorrente. Coordenada pelo médico dermatologista Ricardo Romiti, Coordenador da Campanha Nacional de Psoríase da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a iniciativa tem como objetivo orientar e esclarecer as dúvidas da população. Este ano, a campanha foi pensada para dar dicas, as #TopTipsemPsoríase, para pacientes com a doença. A psoríase provoca alterações na pele, nas unhas, no couro cabeludo e até nas articulações (artrite psoriásica).

Mesmo não sendo contagiosa, os pacientes com a doença sofrem muito preconceito por causa das lesões aparentes na pele. O impacto da doença não fica restrito ao corpo e também pode causar depressão, ansiedade e ganho de peso. “Um acompanhamento multidisciplinar é importante para a melhora da qualidade de vida do paciente”, reforça Dr. Ricardo Romiti.

Não deixe de procurar um médico dermatologista para diagnóstico e tratamento no site da SBD (www.sbd.org.br) ou nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Mais informações em www.psoriasetemtratamento.com.br.

Fonte: Observatório da Saúde do RJ

Compartilhe:

Cuide da sua saúde com profissionais e serviços
credenciados pela SBD

Encontre um Dermatologista

Encontre um Dermatologista

Acompanhe sua saúde com um profissional
credenciado pela SBD.

Buscar profissionais
Centros de Serviços Dermatológicos

Centros de Serviços Dermatológicos

Encontre uma instituição credenciada pela
Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Buscar centros
   

Siga a SBD e fique atualizado.