SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

Envie sua proposta e seja um associado »

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.

Submit your proposal and be an associate »

Exames para detectar câncer de pele caem pela metade durante pandemia


Neste Dezembro Laranja, mês dedicado à conscientização contra o câncer de pele, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) alerta para a drástica diminuição dos exames que permitem detectar esse que é o câncer mais comum entre os brasileiros. Entre janeiro e setembro de 2020, o volume de pessoas que procuraram o Sistema Único de Saúde (SUS) para fazer o diagnóstico caiu em 48%, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Apesar de ser o mais comum, o câncer de pele não é o mais fatal, mas, sem o diagnóstico precoce, pode provocar metástases e até levar o paciente a óbito, como alerta a SBD.

"As consequências desse problema serão percebidas em médio e longo prazos. O paciente — ao retardar o seu diagnóstico e início de tratamento — perde a chance de efetivamente reduzir os efeitos nefastos que um câncer de pele pode causar e que, no limite, pode levar o paciente a óbito. Temos que pensar em estratégias para reduzir essa lacuna", alerta a coordenadora do Departamento de Oncologia Cutânea da SBD, Jade Cury.

Dados coletados pela SBD a partir de informações das secretarias de saúde dos estados e municípios apontam que foram realizadas 109 mil biópsias de pele e punção de tumor superficial da pele até setembro, enquanto, em 2019, o total foi de 210 mil exames do tipo. Para o presidente da entidade, Sérgio Palma, esse é mais um triste legado deixado por essa pandemia.

“Em um primeiro momento, os serviços de saúde suspenderam a realização dos procedimentos como medida de segurança. Depois, a população, por medo de contaminação pelo vírus, passou a evitar as consultas, mesmo com a retomada dos atendimentos”.

Pior desempenho da década

Se o ritmo dos atendimentos não for alterado, pelas projeções, o país chegará a dezembro tendo realizado 146 mil exames para detectar o câncer de pele, pior desempenho da década. “Os gestores não têm responsabilidade por esse cenário, mas recai sobre eles o desenvolvimento de estratégias para resolver o problema", avalia Palma.

A sociedade alerta que o diagnóstico precoce do câncer de pele, em especial o melanoma, é fundamental para o não agravamento. A doença corresponde a 27% de todos os tumores malignos no país.

Fonte: Correio Braziliense

Saiba mais

Procura por exames de câncer de pele tem queda de 48% durante pandemia

Especialista explica sobre a prevenção contra o câncer de pele

Campanha “Dezembro Laranja” alerta para os riscos do câncer de pele

Compartilhe: