SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

SBD

Centros Dermatológicos

SBD

Regionais

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.

SUS pode adotar novo tratamento da psoríase


No Dia Mundial da Psoríase, celebrado hoje, a notícia é boa para os portadores das versões moderada e grave da doença. Quatro medicamentos imunobiológicos – frutos da engenharia genética –, considerados mais eficazes e seguros do que aqueles usados atualmente, podem ser disponibilizados no Sistema Único de Saúde (SUS).

Neste mês, a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) do Ministério da Saúde recomendou a incorporação dos remédios adalimumabe, secuquinumabe, ustequinumabe e etanercepte. Eles agem no sistema imunológico bloqueando o processo inflamatório que desencadeia a doença.

A psoríase, de origem desconhecida, não é contagiosa e, apesar de não ter cura, é controlável. Ela se desenvolve a partir de uma reação imunológica exagerada, que leva à proliferação de células que aceleram o processo de troca da pele. O resultado é o aparecimento de lesões vermelhas, recobertas por placas no corpo todo, principalmente nos joelhos, nos cotovelos, nas mãos, nos pés e no couro cabeludo.

“As drogas biológicas ‘param’ a doença antes de os sintomas surgirem. Elas atuam no que não deveria estar lá, bloqueando o início do processo”, explica a dermatologista Michelle Diniz, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

“Os medicamentos atuais agem no sistema imunológico, podendo abrir portas para as infecções, principalmente nas vias aéreas superiores”, afirma a dermatologista Teresa Noviello.

Sequelas
Segundo as especialistas, nem todos os portadores da psoríase precisam de tratamentos sistêmicos. A maioria tem lesões leves, tratáveis com remédios de uso tópico. Porém, 30% dos pacientes têm crises graves, que acometem o corpo todo, ardem, coçam e chegam a desenvolver a chamada “artrite psoriática”, que inclui sintomas como dor, rigidez e inchaço nas articulações.

A escritora Luciana Aquino, 47, desenvolveu a artrite depois de ter 98% do corpo coberto pelas lesões na pele em 2015. “Só ficaram livres as palmas das mãos e as solas dos pés. Precisei ficar quatro meses dentro de casa porque corria o risco de contrair infecções de tão inflamada que a pele estava”, conta. Hoje, ela tem a psoríase sob controle e trata apenas a artrite.

Para a designer Laís Macedo, 26, a luta contra a psoríase apenas começou. Ela foi diagnosticada em julho. “As primeiras lesões avermelhadas apareceram no meu couro cabeludo e próximo à nuca. Duas semanas depois, elas surgiram nos cotovelos”, conta.

Brasil
Por aqui, a estimativa é que a psoríase atinge até 2% da população, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). No mundo, são mais de 65 milhões de pessoas.

Os novos medicamentos são de uso contínuo e custam caro. Dependendo do tipo de tratamento que o paciente precisa, cada um deles não sai por menos de R$ 5.000, podendo chegar a R$ 10 mil (por mês).

Doença afeta qualidade de vida da pessoa
Uma pesquisa internacional sobre a psoríase, realizada pela Hall and Partners, entrevistou 2.361 pessoas e revelou que a doença provoca grande impacto negativo na qualidade de vida de 71% dos pacientes brasileiros. A pesquisa ouviu homens e mulheres de 18 a 75 anos em 26 países.

Sobre os resultados do tratamento, a remissão completa das lesões de pele é a principal expectativa para 73% dos pacientes. Mais da metade (58%) dos entrevistados afirmou que a doença interfere negativamente em suas atividades profissionais e pessoais como relacionamentos.

Fonte: Jornal Pampulha Online - MG

 

Compartilhe:

Cuide da sua saúde com profissionais e serviços
credenciados pela SBD

Encontre um Dermatologista

Encontre um Dermatologista

Acompanhe sua saúde com um profissional
credenciado pela SBD.

Buscar profissionais
Centros de Serviços Dermatológicos

Centros de Serviços Dermatológicos

Encontre uma instituição credenciada pela
Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Buscar centros
   

Siga a SBD e fique atualizado.