SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

SBD

Centros Dermatológicos

SBD

Regionais

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.

Notícias - Fique por dentro do mundo da Dermatologia.

Eventos

Beleza da pele é assunto médico

Seminário reúne especialistas para discutir a importância de se procurar um profissional habilitado na hora de realizar procedimentos estéticos

13/05/2019 05:04

Era véspera do embarque para a viagem tão sonhada à Grécia mas, em vez de estar arrumando as malas, a jornalista Priscilla Aguiar, de 33 anos, enfrentava “o pior dia de sua vida”, iniciando um tratamento doloroso para tentar reverter uma complicação decorrente de um procedimento estético. A aplicação do ácido hialurônico por uma biomédica, no ano passado, resultou em infecção e necrose do nariz. O depoimento sincero e emocionado abriu o seminário Cosmiatria e Laser, Beleza à Luz da Medicina, que reuniu especialistas e celebridades no dia 7 de maio, no auditório do jornal O GLOBO com a mediação da diretora de Redação da Revista Ela, Marina Caruso.

O evento, em parceria com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), discutiu novas tecnologias, ética médica e riscos de tratamentos feitos por profissionais não habilitados e em locais inadequados.

— Agi por impulso, vendo as postagens que a profissional fazia no Instagram. Eu fiquei com algumas sequelas, mas poderia estar cega, ou ter sofrido um AVC. Fiz questão de me expor para que outras pessoas não passem por isso — disse Priscilla.

O presidente da SBD, Sérgio Palma, destacou que o cuidado com a saúde é multidisciplinar, mas cada profissão tem sua competência estabelecida em lei.

— O procedimento cosmiátrico invasivo é de competência médica — afirmou o dermatologista no painel Beleza e saúde da pele: a dermatologia no centro da atenção.

Coordenadora do Departamento de Cosmiatria da SBD, Alessandra Romiti destacou que não é raro um paciente procurar o dermatologista por uma questão estética e acabar descobrindo uma doença de pele:

— O diagnóstico é o primeiro passo da consulta. A partir daí, traçamos um plano de tratamento, avaliando indicações e contraindicações.

E foi um “não” que fez a atriz e modelo Luiza Brunet admirar ainda mais um médico de quem se tornou amiga. Ela contou que, quando tinha 18 anos, o cirurgião plástico Ivo Pitanguy se recusou a modificar o seu nariz.

— Passaram alguns anos e um fotógrafo muito famoso me disse que eu tinha um perfil e um nariz maravilhosos — relembrou Luiza, que já recorreu a alguns procedimentos para sentir-se mais jovem e hoje, aos 57 anos, é muito feliz com sua aparência.

A presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, Carmita Abdo, afirmou que mais importante do que aparentar estar bem, é sentir-se bem.

— Temos que cultivar a beleza não apenas no aspecto físico. Nem todo mundo nasceu para ser Luiza Brunet.

Tratamentos injetáveis e seguros

A corrida pelos tratamentos com toxina botulínica, preenchedores e bioestimuladores de colágeno e os limites éticos envolvidos nessas aplicações foram abordados no painel A era dos injetáveis: habilitação e segurança dos procedimentos.

— Há uma complexidade de veias e artérias sob a pele. Se o ácido hialurônico, por exemplo, for aplicado em uma artéria ou vaso, provoca uma oclusão que vai levar à necrose do tecido. A paciente tem que ser socorrida imediatamente com a enzima hialuronidase — diz a dermatologista Meire Parada, da Sociedade Brasileira de Dermatologista (SBD).

A atriz Alexandra Richter, de 52 anos, contou que, quando decidiu fazer preenchimento, pediu indicação à sua dermatologista, com quem se trata há 30:

— Ela preferiu recomendar outro dermatologista, que faz o procedimento com cânulas. Não se pode procurar prof issionais pela internet. Além disso, é importante ter bom senso na escolha de um procedimento. No meu caso, como atriz não posso perder a expressão.

Corregedor do Conselho Federal de Medicina (CFM), José Fernando Maia Vinagre esclareceu que, até 2013, não havia uma lei regulamentando a medicina:

— Conseguimos aprovar a lei que dava o limite exato da atuação do médico, não invadindo a área de outros profissionais e não permitindo que a área de atuação do médico fosse invadida. Mas, no momento em que essa lei foi assinada, houve mudanças na sua estrutura, que permitiram essa invasão.

Segundo ele, as sociedades de Dermatologia, de Cirurgia Plástica e os conselhos regionais e federal de Medicina vêm agindo por meio de ações judiciais para conter essa prática.

A observação do local em que os tratamentos são realizadas foi abordada pela gerente da Coordenação de Vigilância em Saúde do Município do Rio, Simone Braga.

Recuperação com rapidez e menos dor

Os avanços na área médica e tecnológica que estão transformando a Dermatologia foram abordados no painel Tratamentos e cuidados dermatológicos: o futuro é agora. São técnicas menos invasivas e com redução da dor. O cantor e ator Paulo Ricardo, de 56 anos, que dividiu a mesa com a atriz Cris Vianna e as dermatologistas Patricia Ormiga e Bruna Duque Estrada, poderia ser um dos beneficiados destas novas técnicas, pois revelou que não suporta sentir dor.

— Em 1999, apliquei toxina botulínica na testa e doeu muito. Hoje, uso um produto no rosto para pele oleosa e, à noite, ácido glicólico – disse o artista, que consulta a dermatologista com frequência.

Ao falar de futuro, Patricia Ormiga, assessora do Departamento de Cosmiatria da SBD, citou a evolução tecnológica, das pesquisas, dos aparelhos, das abordagens de tratamento e redução do tempo de recuperação, mas ressaltou também a prevenção:

— Devemos começar a nos cuidar desde cedo, usando protetor solar, cuidando da saúde como um todo, de modo que o envelhecimento aconteça da melhor forma possível.

Para Bruna Duque Estrada, assessora do Departamento de Cabelos e Unhas da SBD, o futuro está na capacidade de conseguir individualizar os tratamentos.

Vaidosa, a atriz Cris Vianna, de 41 anos, é acompanhada por uma dermatologista especializada em pele negra. Ela defende o uso de procedimentos sem exageros.

Foto: Eduardo Uzal/G.Lab

Fonte: O Globo

Compartilhe:
   

Siga a SBD e fique atualizado.