No Dia Mundial da Saúde, SBD aborda a relação entre as doenças dermatológicas e a depressão

06/04/2017 l 18h00


No Dia Mundial da Saúde, lembrado em 7 de abril, a Organização Mundial da Saúde (OMS) deu início a uma campanha sobre depressão, transtorno que é um problema que atinge grande parte da população mundial e, em alguns casos, também pode afetar pessoas que possuem problemas dermatológicos.

A coordenadora do Departamento de Psicodermatologia da SBD, Márcia Senra, ressalta a relação entre a depressão e as doenças da pele, esclarecendo que alguns pacientes com doenças de pele podem apresentar quadros de depressão. “Em cerca de 30% dos atendimentos dermatológicos encontramos comorbidades de doenças psíquicas. É importante lembrar que muitos pacientes com depressão podem apresentar algum tipo de doença dermatológica, como a dermatite atópica, seborreica, hiperidrose e psoríase.”

A dermatologista enfatizou que o médico deve saber lidar com o paciente e reconhecer as doenças da pele nas alterações psiquiátricas. De acordo com ela, deve-se ter muita atenção com o paciente e apontar caminhos para os que estão sofrendo. “O dermatologista precisa ver o ser humano por trás dos sintomas, tendo percepção e escuta apuradas. O diagnóstico deve ser bem feito porque a busca pela cura da depressão e das doenças dermatológicas caminham juntas. A implementação de questionários na sala de espera do consultório e a maneira de lidar com o doente são meios importantes que reforçam o vínculo médico-paciente”, salienta.

Com relação aos tratamentos de ambas as doenças, Márcia reforça que elas devem ser feitas ao mesmo tempo. “O sucesso na resposta do tratamento contra o transtorno depende do paciente estar se adaptando ao medicamento e isso também influi e provoca uma reação positiva ao tratamento da pele”.

Segundo a dermatologista, as pesquisas sobre a relação entre depressão e as doenças confirmam melhoras significativas ao paciente. “Existem estudos que demonstram melhorias das funções cognitivas no tratamento conjunto dessas doenças, que incluem além da medicação, técnicas para combater o estresse, como a prática de exercícios regulares, alimentação balanceada, redução do açúcar, cafeína e bebidas alcoólicas e de um sono adequado. Dependendo do caso, o tratamento da depressão com trabalho do psiquiatra e psicólogo são motivantes e ajudam o paciente a perceber que a vida pode ser mudada para melhor”, reforça.

 

Let’s Talk é o lema da campanha de 2017

Segundo a OMS, estima-se que 350 milhões de pessoas no mundo vivem com depressão, sendo só na região da América Latina cerca de 50 milhões. O número de pessoas que sofre de depressão aumentou 18% entre 2005 e 2015.

O lema da campanha da OMS deste ano é “Let’s Talk” (Vamos Conversar) e visa conscientizar as pessoas sobre a importância de se discutir abertamente sobre o transtorno e reforça que existem formas de prevenir e tratar a depressão, ajudando as pessoas que vivem com a doença a buscar apoio.

Para mais informações sobre a campanha, clique aqui.

 

diamundialsaude