logo_dermato2017-500-256x300

Após 17 anos, a Bahia volta a ser sede do maior Congresso de Dermatologia do País. De 7 a 10 de setembro, Costa do Sauípe receberá o 72º Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Dermato Bahia 2017. O evento, que irá reunir dermatologistas de todo o Brasil, discutirá a clínica médica, com enfoque nas doenças negligenciadas como a leishmaniose, a hanseníase, os cânceres cutâneos e várias outras que se beneficiam do desenvolvimento de novas drogas ou intervenções. A cirurgia dermatológica e a cosmiatria também fazem parte da programação.

O Congresso, além do cunho científico, tem compromisso com a comunidade que o acolhe. Por isso, inicia com quatro meses de antecedência, parcerias na área de responsabilidade social e ambiental, garantindo legado de educação e saúde para a população local.

A primeira parceria foi firmada com a Federação dos Pescadores e Aquicultores do Estado da Bahia (FEPESBA). A Federação reúne 94 Colônias de Pescadores sob sua jurisdição, espalhadas pelos 27 Territórios de Identidade do Estado. Juntas, a Federação e suas afiliadas assistem diretamente mais de 100 mil pescadores artesanais e marisqueiras, auxiliando-os na busca, acesso e manutenção de seus direitos.

No dia 18 de maio, serão realizadas palestras nas colônias de Pescadores Z-14 e Z-6, Arembepe e Itapuã, respectivamente. O médico dermatologista Dr. Vidal Haddad Jr., professor e pesquisador da Faculdade de Medicina da UNESP e responsável pelo Projeto Pescadores do Brasil, falará sobre “Animais dos mares e rios que podem ferir pescadores e seus familiares: o que fazer na hora do acidente?”. A proposta da iniciativa é fornecer fundamentos para os pescadores e suas famílias para que estes sejam capazes de enfrentar ferimentos e envenenamentos causados pelos diversos animais marinhos presentes no seu cotidiano.

Segundo Dr. Vidal, “essas emergências constituem os acidentes de trabalho mais comuns nas duas profissões, podendo ser provocadas por diversos animais, como os ouriços-do-mar pretos (pindaúnas), as águas-vivas e caravelas e por peixes venenosos como os bagres, arraias, niquins, peixes-pedra ou beatriz e outros. Acidentes traumáticos também ocorrem provocados por siris e caranguejos, bordas afiadas de conchas, espinhas de peixes etc.”, explica o médico dermatologista.

Durante as palestras, através da discussão dos problemas citados com as comunidades envolvidas e distribuição de material didático de linguagem simples e direta para os associados da Federação (que incluirá também informações sobre animais fluviais para as colônias de rios e lagos), serão fornecidas as medidas de primeiros socorros e de prevenção dos ferimentos, envenenamentos e infecções que podem acontecer nessas situações. A iniciativa já foi realizada em várias colônias de pescadores em diversos locais do país, obtendo êxito na prevenção desse tipo de acidente nas comunidades envolvidas.

 

Mais informações:

http://www.sbd.org.br/orientacao/acidentes-com-animais-aquaticos/

 

Serviço:

Arembepe:

Colônia de Pescadores Z-14

Rua Manoel Coelho, s/n – Distrito de Arembepe

Horário: 9h30

Capacidade: 100 pessoas

 

Itapuã:

Colônia de Pescadores Z-06

Rua Aristides Milton, s/n  Largo da Sereia – Itapuã

Horário: 15h30

Capacidade: 100 pessoas

 

Assessoria de Imprensa

Maria del Carmen González – mdcazevedo@gmail.com

Rogéria Lemos – rogeria.lemos@fsb.com.br – (21)2217-6522

Tayná Almeida – tayna.almeida@fsb.com.br – (21) 2217-6534