SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

SBD

Centros Dermatológicos

SBD

Regionais

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.


Nevos Displásicos

Nevos Displásicos

São pequenas manchas marrons regulares na pele, salientes ou não. São popularmente conhecidos por pintas e sinais.

O que é? O que é?

nevo-melanocitico-300x225

Nevos melanocíticos são pequenas manchas marrons regulares na pele, salientes ou não. São popularmente conhecidos por pintas e sinais. A maioria das pintas surge em decorrência da genética e da exposição solar e possui um formato regular. Já os nevos atípicos (ou nevos displásicos) são nevos não usuais, que podem parecer um melanoma. São lesões maiores, podendo ser irregulares no formato e possuir vários tons. Pesquisas afirmam que pessoas com dez ou mais nevos displásicos possuem 12 vezes mais chance de desenvolver o melanoma, tipo mais agressivo de câncer da pele. Geralmente é hereditário e pessoas com histórico familiar de melanoma são mais propensas a desenvolvê-lo. Esses dados são importantes para alertar para a importância do autoexame mensal, a necessidade de visitas regulares ao dermatologista e da proteção solar diária.    

 

Sintomas Sintomas

As pessoas devem ficar atentas, por exemplo, se notarem mais de 100 nevos, um ou mais que sejam maiores ou, ainda, um ou mais nevos atípicos. Atenção às características dos nevos normais e dos nevos atípicos e usar sempre a regrinha do ABCDE que indica lesões suspeitas de melanoma. Os sinais podem se apresentar duas formas:  

Nevos Normais

Um adulto jovem possui entre 10 e 20 pintas, elevadas ou não. O formato deve ser simétrico. A borda regular e bem delimitada. A cor uniforme, e geralmente castanha, marrom ou cor de pele. O diâmetro menor do que 6 mm. Esses nevos concentram-se em áreas expostas ao sol, como face, tronco, braços e pernas. Aparecem até os 35 ou 40 anos e são semelhantes, normalmente não há evolução, nem em tamanho, nem em formato ou coloração.

Nevos Displásicos

Geralmente são maiores do que os nevos comuns e podem apresentar irregularidade do formato ou coloração. Dessa forma, podem ser muito parecidos com um melanoma inicial. As  características que fazem suspeitar de melanoma e, às vezes são vistas nos nevos displásicos, são: assimetria no formato, ou seja, quando se divide a pinta em dois lados, eles são diferentes. Borda irregular ou mal-delimitada - não possui formato definido, como oval ou redondo. Cor variável, geralmente há áreas mais escuras e outras mais claras na mesma pinta. Podendo ser castanha, marrom, marrom escura, vermelha, azul ou preta. Diâmetro maior do que 6 mm. Evolução anormal, ou seja, modificação no sinal, seja crescimento, alteração no formato ou coloração, ou ainda desenvolvimento de sintomas como coceira ou sangramento. O melanoma inicial não apresenta sintomas alarmantes, por isso, qualquer mudança em pintas suspeitas é sinal para procurar o dermatologista. É preciso prestar atenção a sangramentos nas pintas, formação de “casquinhas” ou pequenas úlceras, inchaços e mudança de cor para vermelho, preto ou azulado. A dermatoscopia é extremamente útil na avaliação de pacientes com muitos nevos. É uma forma de se examinar as características dos sinais, pois amplia a imagem e permite a visualização de estruturas internas e de cores invisíveis a olho nu. Dessa forma, um dermatologista pode identificar lesões que levantem dúvidas, mesmo que ainda muito pequenas, e diferenciar com maior precisão lesões suspeitas de lesões benignas. Para pacientes com múltiplos nevos existe a monitorização digital com mapeamento corporal e dermatoscopia digital. Dessa forma pode-se documentar o surgimento de novos sinais ou alterações nos sinais já existentes.  

Tratamentos Tratamentos

A maioria dos nevos melanocíticos não necessita tratamento. Quando existe dúvida se a pinta é um nevo atípico ou um melanoma inicial, deve ser realizada a remoção da mesma para biópsia e confirmação diagnóstica.

Prevenção Prevenção

Pessoas com risco elevado para melanoma devem permanecer alerta. Os fatores de risco são:

  • olhos, cabelos ou pele clara;
  • sardas;
  • muitos nevos;
  • histórico pessoal ou familiar de melanoma ou de cânceres não melanoma, como o de pâncreas;
  • sensibilidade ao sol;
  • incapacidade de se bronzear; queimaduras solares frequentes ou intermitentes;
  • um grande nevo presente desde o nascimento ou nevos displásicos.

O ideal é que a pessoa conheça sua pele e faça autoexames todos os meses. Para se fazer o exame, o ideal é ir a um lugar bem claro. Com a ajuda de um espelho de corpo e outro de mão examinar todas as áreas do corpo, inclusive couro cabeludo, planta dos pés e entre os dedos dos pés e das mãos. É fundamental que pacientes com fatores de risco para melanoma, em especial aqueles com muitos nevos ou nevos atípicos, façam revisões periódicas com um médico dermatologista, ao menos uma vez ao ano. Melanomas iniciais podem ser muito parecidos com nevos atípicos, e o dermatologista, com o uso da dermatoscopia, pode, com maior segurança, identificar lesões suspeitas. É importante informar sempre que desconfiar de mudanças ou sintomas. É sempre bom prevenir, mesmo que as neoplasias sejam curáveis se detectadas e tratadas precocemente. Adquirir hábitos saudáveis e seguir as recomendações sobre fotoproteção da SBD:

  • Usar chapéus, camisetas e protetores solares.
  • Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16 horas (horário de verão).
  • Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As feitas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.
  • Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou diversão. Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo.  Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. Ao utilizar o produto no dia a dia, aplicar uma boa quantidade pela manhã e reaplicar antes de sair para o almoço.
  • Observar regularmente a própria pele, à procura de lesões suspeitas.
  • Consultar o dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.

Outros problemas e doenças de pele

Catapora

Catapora

Catapora, ou varicela, é uma infecção causada pelo vírus varicela-zoster.

Leia mais...
Micose

Micose

Micoses são infecções causadas por fungos que atingem a pele, as unhas e os cabelos.

Leia mais...
Urticária

Urticária

Irritação cutânea caracterizada por lesões avermelhadas e levemente inchadas, como vergões, que aparecem na pele e coçam muito.

Leia mais...
Dermatite Perioral

Dermatite Perioral

É uma doença que aparece na região da face, principalmente ao redor da boca e nariz, mas que pode evoluir para a área ao redor dos olhos, quando recebe a denominação de dermatite periocular.

Leia mais...
Envelhecimento

Envelhecimento

O envelhecimento do organismo como um todo se relaciona com o fato das células somáticas do corpo começarem a morrer e não serem substituídas por novas, como acontece na juventude.

Leia mais...
   

Siga a SBD e fique atualizado.