SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

SBD

Centros Dermatológicos

SBD

Regionais

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.


Hirsutismo

Hirsutismo

É um aumento da quantidade de pelos na mulher em locais comuns ao homem.

O que é? O que é?

Hirsutismo é um aumento da quantidade de pelos na mulher em locais comuns ao homem. Embora seja raro, costuma afetar as mulheres durante os anos férteis e após a menopausa. Geralmente, está associado à irregularidade menstrual, alterações hormonais, infertilidade e acne, mas muitos casos não têm causa definida.    

 

 

 

Sintomas Sintomas

O principal sintoma é o surgimento de pelos em regiões não comuns às mulheres como queixo, buço, abdômen inferior, ao redor de mamilos, entre as mamas, glúteos e na parte interna das coxas. O aparecimento deste distúrbio pode ser provocado por causas genéticas, uso de medicamentos e distúrbios glandulares (chamados endocrinológicos):

  • Hirsutismo familiar: O crescimento de pelos ocorre, mas não por causa dos ciclos menstruais ou de um desbalanço hormonal predominantemente androgênicos (hromônios masculinos), Estes  estão normais nestas mulheres. Nesse caso, a condição é antiga, e pode estar associada a alguns grupos éticos específicos.
  • Excesso de hormônios masculinos: O hirsutismo pode estar ligado ao excesso de produção de androgênios (hormônios masculinos) pelas glândulas adrenais e os ovários. Em geral nestes casos ocorre um surgimento dos pêlos progressivo, e deve ser investigado. Há causas diversas sendo as mais comuns distúrbios na regulação da produção dos hormônios sexuais e seu balanço, e muito raramente tumores nos ovários ou nas glândulas suprarrenais.
  • Síndrome dos ovários policísticos (SOP): Esta síndrome é associada ao conjunto de mudanças que a mulher sofre no seu ciclo menstrual por alterações hormonais, oleosidade, acne e infertilidade. Assim, o hirsutismo também pode se manifestar em decorrência da SOP.

Tratamentos Tratamentos

Um dos primeiros passos é realizar uma investigação hormonal. A partir daí, o médico irá planejar as estratégias do tratamento que passa, inicialmente, pela definição da doença de base, caso exista. Sem o devido tratamento da causa de base, as estratégias de tópicas ou depilatórias são ineficazes. Os tratamentos que geram bloqueio dos hormônios masculinos são muito empregados, porém, os resultados começam a aparecer entre três e seis meses. Vale salientar que a flutamida é uma medicação proibida para uso dermatológico no tratamento do hirsutismo, por há risco de lesão aguda e irreversível do fígado. Essa posição é explicitada no alerta da Anvisa SNVS no 7, de 21 de outubro de 2004, no qual consta que, para a flutamina,  “… o posicionamento da Anvisa em relação à única indicação terapêutica aprovada, o câncer de próstata”. Paralelamente aos medicamentos, pode ser necessário fazer a remoção física dos pelos. Entre os métodos, há a raspagem; a depilação com cera ou cremes depilatórios; a utilização de pinças; e eletrólise e depilação com laser, sendo estas últimas técnicas mais duradouras para suprimir o surgimento de pelos. A escolha do método pode ser discutida com o médico dermatologista. Abaixo, seguem alguns pontos importantes a considerar:

Cremes depilatórios: podem gerar irritação e até queimaduras se usados incorretamente ou em desacordo com as indicações exatas passadas pelo fabricante. É essencial ler sempre a bula e/ou as instruções do produto adquirido

Laser e luz pulsada: opção mais rápida e eficiente para a remoção dos pelos. Há diversos aparelhos com princípios técnicos muito diferentes em uso para este fim. A escolha do melhor a ser usado em cada caso, a eficácia e os possíveis efeitos colaterais (manchas, queimaduras, ausências de resultados, aumento dos pelos) devem ser discutidos com o médico dermatologista que irá aplicar o método. Isso deve ser feito para que todas as dúvidas sejam sanadas antes do início de um tratamento. Esse simples cuidado de não iniciar um tratamento sem saber exatamente o que esperar, evita muitos descontentamentos por parte do paciente quanto a expectativas errôneas ou irreais, ou quando emergem efeitos indesejáveis.

Eletrólise: método antigo que também pode causar foliculite e aumento de pigmento pela inflamação que gera. É indicada para os pelos brancos, que não são suscetíveis ao laser.  

Prevenção Prevenção

As formas de hirsutismo que podem ser prevenidas dependem de evitar o uso de esteroides anabolizantes e tratar adequadamente a síndrome dos ovários policísticos.

Outros problemas e doenças de pele

Escabiose (ou Sarna)

Escabiose (ou Sarna)

Sarna ou escabiose é uma parasitose humana causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei variedade hominis.

Leia mais...
Lipoma

Lipoma

São tumores cutâneos benignos compostos por células de gordura maduras.

Leia mais...
Neurofibromatose

Neurofibromatose

Conhecida como doença de von Recklinghausen, é um conjunto de doenças genéticas que afetam, mais notadamente, a pele e o sistema neurológico.

Leia mais...
Pitiríase Rósea

Pitiríase Rósea

Doença eruptiva benigna que acomete a pele, sendo uma desordem comum em pessoas saudáveis, principalmente crianças e adultos jovens.

Leia mais...
Farmacodermia

Farmacodermia

Reação cutânea adversa a medicamentos. Qualquer efeito indesejado na pele, mucosas, cabelos e unhas, na sua estrutura ou função, desencadeado pelo uso de medicamento.

Leia mais...
   

Siga a SBD e fique atualizado.