SBD

Brasileiros

SBD

Estrangeiros

SBD

Centros Dermatológicos

SBD

Regionais

OU

Seja um associado

Conte com o apoio da segunda maior Sociedade de Dermatologia do mundo, tenha acesso a conteúdos exclusivos e um perfil profissional completo no site.

OR

Be an associate

Count on the support of the second largest Society of Dermatology in the world, have access to exclusive content and a complete professional profile on the site.


Esclerodermia

Esclerodermia

É uma doença rara que afeta o tecido conjuntivo, que dá estrutura e sustenta os órgãos e sistemas do corpo humano.

O que é? O que é?

Esclerodermia significa “endurecimento” da pele. (sclero = duro; derma = pele). É uma doença rara que afeta o tecido conjuntivo, que dá estrutura e sustenta os órgãos e sistemas do corpo humano. Não possui causa conhecida, contudo é considerada uma condição autoimune e não é contagiosa. Sua principal característica é o espessamento da pele. É mais comum no sexo feminino, podendo acometer adultos e crianças. Existem basicamente duas formas de apresentação: a localizada e a sistêmica. Na forma localizada há envolvimento apenas da pele. Já a forma sistêmica, também chamada de Esclerose Sistêmica, afeta, além da pele, outros órgãos, como esôfago, pulmão e rins, e pode ser dividida em formas Cutânea Limitada e Cutânea Difusa.

Sintomas Sintomas

O principal sintoma é o espessamento cutâneo, que pode ser percebido pela rigidez ao toque e dificuldade de preguear a pele. Outros sinais e sintomas podem incluir:

  • Alteração da cor da ponta dos dedos (começa branco, passando a azul/arroxeado e, depois, vermelho). Essa condição é chamada de Fenômeno de Raynaud e costuma se relacionar ao frio.
  • Nódulos endurecidos que podem ser avermelhados ou esbranquiçados e representam depósitos de cálcio sobre algumas articulações (mãos e cotovelos, por exemplo);
  • Rigidez das articulações;
  • Microstomia - diminuição da abertura da boca;
  • Dificuldade para engolir alimentos sólidos;
  • Dificuldade para respirar.

O diagnóstico é difícil e pode levar de meses a anos para ser estabelecido. O Fenômeno de Raynaud é uma valiosa dica porque, em alguns casos, ele pode aparecer de forma isolada, até mesmo anos antes dos outros sintomas surgirem. O médico poderá solicitar exames de sangue, como a dosagem de autoanticorpos. Outros exames, comumente pedidos, são radiografia ou tomografia de tórax, testes de função pulmonar e biópsia de pele (retirado um pequeno fragmento para análise histopatológica).

Tratamentos Tratamentos

O tratamento pode ser feito com medicações tópicas (aplicadas diretamente na pele) ou medicações sistêmicas (por via oral ou mesmo via injetável), como corticoides e imunossupressores, um deles é o metotrexate. Exames laboratoriais são feitos também para acompanhar a terapêutica. Além disso, os pacientes que possuem o Fenômeno de Raynaud devem proteger as extremidades do corpo do frio. A esclerodermia ainda não tem cura, mas é fundamental que o paciente procure a ajuda especializada de um dermatologista para que a melhor terapêutica seja realizada, a fim de ter o controle da doença e evitar sequelas.

Outros problemas e doenças de pele

Estrias

Estrias

Estria é uma atrofia tegumentar adquirida que surge quando as fibras elásticas e colágenas (responsáveis pela firmeza da pele) se rompem e formam “cicatrizes”.

Leia mais...
Pitiríase Versicolor-(Pano Branco)

Pitiríase Versicolor-(Pano Branco)

É uma micose superficial da pele causada por fungos do gênero Malassezia, que são leveduras que habitam o folículo piloso sem causar doença.

Leia mais...
Molusco

Molusco

São pequenas pápulas da cor da pele, com umbilicação central (depressão patológica em formato similar ao do umbigo) muitas vezes confundida com verrugas vulgares.

Leia mais...
Paroníquia

Paroníquia

Leia mais...
Dermatite Atópica

Dermatite Atópica

É uma doença genética, crônica e que apresenta pele seca, erupções que coçam e crostas.

Leia mais...
   

Siga a SBD e fique atualizado.